Bolsonaro aparece como 'ex-cônjuge de Ana Cristina' em pedido de quebra de sigilo de Carlos

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
***ARQUIVO***RESENDE, RJ, 16.09.2018: A ex-mulher do atual presidente Jair Bolsonaro, Ana Cristina Valle. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)
***ARQUIVO***RESENDE, RJ, 16.09.2018: A ex-mulher do atual presidente Jair Bolsonaro, Ana Cristina Valle. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente Jair Bolsonaro é citado diretamente, mas não nominalmente, na petição do Ministério Público do Rio de Janeiro para quebra de sigilo do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) e alguns de seus ex-assessores.

Bolsonaro é chamado de "ex-cônjuge" de Ana Cristina Siqueira Valle quando promotores se referem a um imóvel cadastrado como endereço de dois ex-funcionários suspeitos de serem "fantasmas" do gabinete na Câmara Municipal.

O apartamento fica na Tijuca, zona norte do Rio de Janeiro, e foi de propriedade do presidente e de sua ex-mulher Rogéria Bolsonaro entre 1997 e 2001, quando os dois se divorciaram. O imóvel se tornou propriedade de Rogéria depois disso.

Esses dois supostos "funcionários fantasmas" apresentaram também como endereço na Receita Federal e na Câmara Municipal outra casa que Bolsonaro comprou com Ana Cristina em 2002, na Barra da Tijuca (zona oeste), como mostrou o jornal Folha de S.Paulo.

Neste caso, os promotores afirmam apenas que o imóvel indicado foi adquirido por Ana Cristina, omitindo a propriedade também do presidente.

Bolsonaro não pode ser investigado pelo MP-RJ por ter foro especial no STF (Supremo Tribunal Federal).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos