Bolsonaro apresenta melhora em quadro de saúde, mas não tem data para deixar hospital

Reprodução/Twitter
Reprodução/Twitter

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) apresentou uma melhora no quadro de saúde embora sua saída do hospital Albert Einstein, onde está internado, ainda não tenha data definida. A informação foi dada pelo porta-voz da Presidência, Otavio do Rego Barros, na tarde da última terça-feira (5).

“Houve melhora do seu estado de saúde nas últimas 24 horas, evoluindo sem dor, afebril e com redução da coleção líquida no abdome”, explicou Barros ao ler o último boletim médico divulgado pela equipe que atende o presidente.

Após ter apresentado complicações em decorrência da cirurgia para retirada da bolsa de colostomia na semana passada, com episódios de febre, o hospital divulgou na tarde de segunda (4) que a alta, inicialmente prevista para esta quarta (6), foi adiada.

Leia mais:
Ministro do Turismo é exonerado por Bolsonaro
Moro ‘recicla’ pacote anticorrupção da Lava Jato

O último boletim explica que Bolsonaro permanece internado em unidade de terapia semi-intensiva, com antibióticos e um dreno no abdômen. Ele também apresenta avanços ao iniciar a ingestão de líquidos via oral.

Boslonaro, aos 63 anos, se recupera da terceira cirurgia em menos de seis meses desde que foi vítima de atentado a faca, em setembro passado, enquanto cumpria agenda da campanha em Juiz de Fora (MG).

Ao fim da tarde de ontem, ele divulgou em sua conta oficial do Twitter que continua despachando do hospital.

Confira a íntegra do boletim:

“O excelentíssimo Presidente da República, Jair Bolsonaro, permanece internado na unidade semi-intensiva do Hospital Israelita Albert Einstein.

Houve melhora do seu estado de saúde nas últimas 24 horas, evoluindo sem dor, afebril e com redução da coleção líquida no abdome. Apresentou aumento da movimentação intestinal, o que possibilitou o início de ingestão de líquidos por via oral em associação à nutrição parenteral.

Os exames laboratoriais apresentam melhora. O paciente segue com antibióticos e dreno no abdome.

Por ordem médica, as visitas permanecem restritas.”