Bolsonaro associa aumento do território indígena à perda de segurança alimentar

Bolsonaro defendeu a tese do marco temporal, que limita direito de indígenas ao seu território. (Foto: REUTERS/Amanda Perobelli)
Bolsonaro defendeu a tese do marco temporal, que limita direito de indígenas ao seu território. (Foto: REUTERS/Amanda Perobelli)
  • Fala foi feita antes de motociata com apoiadores no interior de São Paulo

  • Associação, no entanto, não é verdadeira

  • Para Bolsonaro, tema não 'agrega no tocante de votos'

O presidente Jair Bolsonaro (PL) comentou uma alteração do marco temporal, que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF). Ele falou sobre seu medo de que a demarcação dobre o território indígena no Brasil.

“A preocupação é com o fim do agronegócio no Brasil. É o fim da nossa segurança alimentar e o fim da nossa economia do campo”, disse antes de iniciar uma motociata com apoiadores em Sorocaba, no interior de São Paulo. Ele estava acompanhado de Tarcísio de Freitas (Republicanos), candidato ao governo do estado, Marcos Pontes (PL), candidato a senador, e Frederick Wassef (PL), que concorre a uma vaga na Câmara dos Deputados.

O marco temporal é uma pauta levantada por ruralistas e grupos ligados à exploração de recursos naturais. Ela é combatida por comunidades indígenas, que exigem a garantia de sua sobrevivência e de seus direitos constitucionais e pela preservação das florestas.

Se aprovado o marco, as populações indígenas só terão direito à terra onde vivem se puderem comprovar sua posse a partir do dia 5 de outubro de 1988, data da promulgação da Constituição Federal.

Para Bolsonaro, o assunto “pouco agrega no tocante a votos”, mas disse que “o pessoal tem que ver o que os candidatos pretendem fazer e falam de forma bastante clara”.

“Dobrar a área indígena que está demarcada no Brasil é o fim da nossa economia, o fim da nossa segurança alimentar. Todos nós defendemos a questão ambiental”, disse “De acordo com nas mãos de quem estiver o futuro do Brasil, poderemos ter um retrocesso aí e mergulhar o Brasil no obscurantismo.”

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente:

A demarcação de terras indígenas não é uma ameaça à produção agropecuária brasileira legal e é considerada por especialistas uma das ferramentas mais eficazes de proteção de florestas.