Em live, Bolsonaro participa de ato contra STF, critica Globo e diz que "muitos morrerão" por coronavírus

·2 minuto de leitura
Brazil's President Jair Bolsonaro holds his daughter's hand as he waves to supporters during a protest against his former Minister of Justice Sergio Moro and the Supreme Court, in front of the Planalto presidential palace, in Brasilia, Brazil, Sunday, May 3, 2020. (AP Photo/Eraldo Peres)
Sem máscara e acompanhado da filha Laura, de 9 anos, Bolsonaro desceu a rampa do Planalto e cumprimentou apoiadores. (AP Photo/Eraldo Peres)

Por Paulo Pacheco

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) participou à distância de um ato a favor do governo e contra o STF (Supremo Tribunal Federal), em frente ao Palácio do Planalto, neste domingo (3). As redes sociais do chefe do Executivo transmitiram a manifestação.

Sem máscara e acompanhado da filha Laura, de 9 anos, Bolsonaro desceu a rampa do Planalto e cumprimentou apoiadores de longe, porém permitiu que alguns manifestantes ultrapassassem a barreira de segurança para cumprimentá-lo.

Leia também:

Ao lado das bandeiras do Brasil, dos Estados Unidos e de Israel, Bolsonaro defendeu a manifestação "espontânea" em Brasília. Embora tenha dito que a motivação do ato era a "independência dos poderes e defesa da democracia e liberdade", apoiadores ergueram faixas contra o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e gritaram contra o STF.

"STF, presta atenção, a sua toga vai virar pano de chão", esbravejaram os manifestantes. Cartazes pedindo intervenção militar também foram levantados por manifestantes.

Bolsonaro também falou sobre o coronavírus, que tem 96.559 casos confirmados pelo Ministério da Saúde, com 6.750 óbitos. O presidente criticou as medidas de distanciamento social adotadas por "alguns governadores", seguindo recomendação da OMS (Organização Mundial da Saúde), e afirmou que "muitos perderão suas vidas" em função da Covid-19.

"O Brasil, como um todo, reclama 'volta ao trabalho', essa destruição de empregos irresponsável por parte de alguns governadores é inadmissível. O preço vai ser muito alto na frente. Fome, desemprego, miséria, isso não é bom. O país, de forma altiva, vai enfrentar os seus problemas. Sabemos os efeitos do vírus, mas, infelizmente, muitos serão infectados, infelizmente muitos perderão suas vidas também, mas é uma realidade", disse.

Um integrante da equipe de Bolsonaro o interrompeu para avisar que manfestantes haviam expulsado um jornalista da Globo que cobria o ato. "O pessoal da Globo veio aqui para pegar um cara ou outro e falar besteira. Essa TV realmente foi longe demais. A Globo foi longe demais", reclamou o presidente. Veja a live completa aqui:

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.