Bolsonaro autoriza uso das Forças Armadas para combater queimadas na Amazônia

Muito pressionado, presidente Jair Bolsonaro anunciou medidas para amenizar crise ambiental na Amazônia - Foto: AP Photo/Eraldo Peres

Muito pressionado pela crise na Amazônia, o presidente Jair Bolsonaro assinou, nesta sexta-feira (23), um decreto para autorizar o uso das Forças Armadas no combate a queimadas em toda a região amazônica. A decisão prev6e uso das tropas até o final de novembro no local.

O decreto foi publicado em edição extraordinária do Diário Oficial da União e assinado após reunião de Bolsonaro com alguns ministros para tratar do tema que tem agitado o país e o mundo nessa semana.

Leia também

O uso dos militares depende de requerimento por parte dos governadores da região. O texto determina que Fernando Azevedo e Silva, ministro da Defesa, definirá a alocação dos meios que serão utilizados no procedimento.

O trabalho das Forças Armadas, ainda conforme o texto, ocorrerá em articulação com os órgãos de segurança pública e entidade públicas de proteção ambiental.

De acordo com a Secretaria de Comunicação Social da Presidência, Bolsonaro realizará um pronunciamento às 20h30 para anunciar medidas de combate aos incêndios. Os rumores de sua fala em rede nacional movimentaram as redes sociais, inflando até a organização de um “panelaço” contra o presidente.

Nessa semana, Jair Bolsonaro já sugeriu que as ONGs pudessem ser as responsáveis pelo crescimento das queimadas na região. Posteriormente, depois de muitas críticas, o presidente afirmou que produtores rurais podem estar por trás dos incêndios.

Na noite de quinta, o presidente brasileiro criticou Emmanuel Macron, presidente francês, que se disse preocupado com a situação na Amazônia. Na manhã desta sexta, Bolsonaro já havia sinalizado que autorizaria o uso das Forças Armadas na região.