Nas redes, Secom avisa que fará campanha para rebater Macron

Equipe de comunicação de Bolsonaro afirmou que irá executar uma campanha em inglês contra as falas do francês. (Foto: AP Foto/Eraldo Peres)

O secretário de Comunicação do governo Bolsonaro, Fábio Wajngarten, afirmou em uma rede social que o governo fará uma campanha publicitária em inglês para rebater o presidente da França, Emmanuel Macron.

O francês usou uma foto antiga para criticar as queimadas na Amazônia. Wajngarten fez uma postagem chamando o episódio de “absurdo”. “Ou o presidente da França está agindo de má fé ou é um irresponsável”, escreveu.

Leia também

Um dos internautas sugeriu então que o governo lançasse uma campanha em inglês para responder ao que chamou de “ataque coordenado”.

Wajngarten disse então que fará a campanha. Antes mesmo deste episódio, o secretário avaliava o lançamento de uma campanha para melhorar a reputação do Brasil na Europa.

A secretaria de Comunicação é responsável pela publicidade oficial.

RUSGAS

Na noite desta quinta-feira (22), Bolsonaro rebateu em seu Twitter pessoal as declarações de Macron, que afirmou que os incêndios na Amazônia configuram uma “crise internacional".

Ele lamentou as falas do presidente francês e o acusou de “instrumentalizar” a questão dos incêndios e até de utilizar fotos falsas para tratar da questão.

“Lamento que o presidente Macron busque instrumentalizar uma questão interna do Brasil e de outros países amazônicos para ganhos políticos pessoais. O tom sensacionalista com que se refere à Amazônia (apelando até para fotos falsas) não contribui em nada para a solução do problema", escreveu o presidente brasileiro.

Macron ainda sugeriu que a questão ambiental na Amazônia seja tema da cúpula do G7, encontro previsto para acontecer neste final de semana em Biarritz, no sudoeste da França. Os participantes do encontro serão: Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido.

A sugestão do francês não agradou em nada Bolsonaro. "O Governo brasileiro segue aberto ao diálogo, com base em dados objetivos e no respeito mútuo. A sugestão do presidente francês, de que assuntos amazônicos sejam discutidos no G7 sem a participação dos países da região, evoca mentalidade colonialista descabida no século XXI”, disparou o mandatário brasileiro.

Futuro embaixador?

Cotado para ser o próximo embaixador brasileiro nos EUA, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) também usou suas redes sociais para criticar Macron. O filho de Bolsonaro compartilhou um vídeo cujo título é “Macron é o idiota", estrelado por um youtuber conhecido por apoiar o atual governo brasileiro e publicado em dezembro de 2018.