Bolsonaro cancela jantar com empresários em SP agendado para mesmo dia de ato pró-democracia

O presidente Jair Bolsonaro (PL) desmarcou nesta quarta-feira sua presença em um jantar com grandes empresários em São Paulo agendado para o dia 11 de agosto, mesmo dia em que a Faculdade de Direito da USP vai fazer um ato em defesa da democracia. O evento da universidade será realizado pela manhã no Largo de São Francisco, no centro de São Paulo, onde fica a Faculdade de Direito.

'Empresários mamíferos': Bolsonaro critica signatários de manifesto a favor da democracia

Entrevista: 'Adesão popular aos manifestos confirma apoio ao sistema eleitoral', diz Marco Aurélio Mello

O ato terá a leitura da "Carta às brasileiras e aos brasileiros em defesa do Estado Democrático de Direito", organizada por juristas e pela instituição de ensino e que já conta com 711 mil adesões. Também haverá, no mesmo local, o lançamento do manifesto empresarial "Em Defesa da Democracia e da Justiça", organizado pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo e que já conta com a adesão de entidades como a Febraban (Federação Brasileira dos Bancos) e da FecomercioSP.

Bolsonaro tem atacado publicamente os dois documentos e, em um movimento visto por signatários dos textos como uma resposta aos manifestos, marcou para o mesmo dia sua participação em evento na Fiesp sobre diretrizes prioritárias para o governo, para as 16h, e o jantar agora cancelado. O encontro reuniria o presidente com grandes empresários do Esfera Brasil.

'Por meio desta, manifesto que sou a favor': Bolsonaro ironiza manifestos pró-democracia

Segundo o Esfera Brasil, o Palácio do Planalto não revelou o motivo do cancelamento e não há, até agora, previsão para que o encontro seja remarcado. A organização é liderada pelo empresário João Carlos Camargo e tem entre seus membros empresários como Abílio Diniz, o presidente do conselho de administração da Guararapes, Fávio Rocha, e o presidente da locadora de veículos Localiza, Eugenio Mattar.

A Fiesp tem realizado encontros com os presidenciáveis na entidade desde o mês passado. Já foram à entidade discutir propostas, por exemplo, Simone Tebet (MDB), Luiz Felipe d'Avila (Novo) e Ciro Gomes (PDT). O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vai à entidade no dia 9 de agosto.

Sem citar nomes: Fachin diz que 'desqualificar urnas' é tirar direito dos brasileiros de ter o voto respeitado

A participação de Bolsonaro, originalmente prevista para o dia 12, foi antecipada para o dia 11 às 16h a pedido do presidente da República após a repercussão dos manifestos em defesa da democracia. Nos bastidores, dirigentes empresariais acreditam que Bolsonaro poderá cancelar definitivamente sua participação no encontro.

Nesta terça-feira, em entrevista ao SBT, o presidente voltou a questionar a elaboração dos documentos pró-democracia. O presidente classificou as cartas como "políticas":

— Eu não preciso falar se sou democrata ou não, olha as minhas ações. Essa carta, como está, você não precisa assinar. É com gestos. Eu comprovo que sou democrata pelo o que eu fiz.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos