Bolsonaro cancela reunião ministerial após confirmação de coronavírus em Heleno

GUSTAVO URIBE
*ARQUIVO* BRASÍLIA, DF - 04.03.2020 - O presidente Jair Bolsonaro conversa com Augusto Heleno, ministro do GSI. (Foto: Mateus Bonomi/Agif/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Após a confirmação do teste positivo para o coronavírus do ministro Augusto Heleno, o presidente Jair Bolsonaro cancelou reunião ministerial que realizaria nesta quarta-feira (18) no Palácio do Planalto.

A informação foi confirmada pela assessoria de imprensa da Presidência da República.

Inicialmente, Bolsonaro cogitou, segundo assessores palacianos, realizá-la por meio de teleconferência, mas avaliou que seria difícil promover um encontro televisionado com 22 ministros diferentes.

A tendência é que as demais reuniões esperadas para esta quarta-feira (18), como um encontro com os chefes dos Poderes da República, também não sejam mais realizada.

O ministro-chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), Augusto Heleno, informou nesta quarta-feira (18) que o seu exame para coronavírus teve resultado positivo.

O general da reserva, que participou da comitiva presidencial aos Estados Unidos e é um dos ministros mais próximos do presidente , tem 72 anos. Por causa da idade, ele faz parte do grupo de risco para a doença.

Com a confirmação do diagnóstico, Heleno é o 17º integrantes da comitiva presidencial que viajou aos Estados Unidos a ser confirmado com a doença.

O primeiro exame feito pelo ministro, na semana passada, tinha dado negativo, segundo a sua assessoria de imprensa.

Por precaução, já que o coronavírus pode demorar para se manifestar, ele realizou um novo teste na terça-feira (17).

Só nesta terça, Heleno teve três encontros com Bolsonaro, registrados na agenda oficial. Em nenhum deles, ele usava máscara cirúrgica.

Na manhã desta quarta-feira (18), a equipe de limpeza do Palácio do Planalto passou álcool nos gabinetes da pasta.

Uma equipe do HFA (Hospital das Forças Armadas) também foi deslocada para o Palácio do Planalto para fazer exames de coronavírus em servidores públicos.

Na terça-feira (17), após realizar o segundo exame, o ministro deu entrevista à imprensa e disse que não é absolutamente tranquilizador não ter os sintomas da doença.

"Já houve gente que foi diagnosticada, porque isso depende muito da reação do seu organismo. Às vezes, seu organismo resiste a esse tipo de vírus sem ter grandes problemas", afirmou.