Bolsonaro cita local de execução da ditadura ao criticar debate de gênero em escolas

Por Ricardo Brito
·1 minuto de leitura
Presidente Jair Bolsonaro
Presidente Jair Bolsonaro

Por Ricardo Brito

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro criticou duramente nesta quinta-feira, em transmissão pelas redes sociais, debate sobre gênero nas escolas, e mandou pessoas que pensam diferente dele ir para "a ponta da praia", usando gíria da ditadura militar que se referia a local de execução de pessoas.

Ao lado da ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, Bolsonaro contestou as discussões sobre gênero no ambiente de ensino.

"Nós não podemos botar a nossa política como uma questão de gênero ela é melhor que a outra", disse. "Vai para ponta da praia, não tem cabimento isso, que país é esse", emendou.

O presidente disse ficar triste com o que ocorre no Brasil e ver que "uma porcaria dessa" reverbere, numa referência ao debate.

A gíria "ponta da praia" era usada por militares para se referir a uma base na Restinga de Marambaia, no Rio de Janeiro, que era usada para a execução de presos políticos durante a ditadura. Bolsonaro já havia citado a expressão em outra transmissão na redes sociais, no fim do ano passado, ao criticar servidores da área do meio ambiente.