Bolsonaro cita medidas contra pandemia, MST e 'ideologia de gênero' ao aconselhar eleitores em quem votar

Victor Farias
·2 minuto de leitura
Presidente Jair Bolsonaro
Presidente Jair Bolsonaro

BRASÍLIA — O presidente Jair Bolsonaro pediu nesta quinta-feira para que os eleitores levem em consideração as medidas tomadas na pandemia na hora de votar ou não em um prefeito. Bolsonaro também aconselhou ver o partido político do candidato, se ele prega a "ideologia de gênero" e se apoia o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Teto (MST).

— Vocês têm que ver o partido que o cara tá também, esses partidos que pregam a destruição de lares, a favor de ideologia do gênero. Pessoal do Mato Grosso, o pessoal que apoia o MST, vocês estão votando nesses caras? partidos que apoiam o MST? Então a triagem tem que ser por ai: partido, procurar saber um pouco da vida pregressa dessa pessoa — comentou a apoiadores, no Palácio do Alvorada.

Bolsonaro explicou que a eleição municipal é importante para deputados, senadores e até para o presidente da República, porque é em nível municipal que se formam as bases eleitorais. Em seguida, pediu votos para duas candidatas a vereadora em São Paulo, Sonaira Fernandes (Republicanos) e Clau de Luca (PRTB). Ambas utilizam a imagem do presidente em redes sociais.

— Eu tenho alguns candidatos a vereador pelo Brasil, tenho duas meninas em São Paulo: Clau de Luca e Sonaira, duas mulheres. Eu conheço as duas, por isso estou falando aqui. No Rio de Janeiro eu tenho meu filho, que é o Eduardo — comentou.

O filho do presidente que concorre na eleição municipal do Rio de Janeiro neste ano, na verdade, é Carlos Bolsonaro (Republicanos). Eduardo (PSL) foi eleito deputado federal em 2018 pelo estado de São Paulo.

O presidente também afirmou que, nas cidades com reeleição, é importante ver quais medidas foram tomadas durante a pandemia. Desde o começo da crise, Bolsonaro se posiciona contra medidas de isolamento, recomendadas por ex-ministros da Saúde e pela Organização Mundial da Saúde (OMS)

— Você quer reeleger um cara ou não, vê o que ele fez durante a pandemia, o prefeito, vê se você concorda com as medidas que ele tomou, obrigando fechar tudo, falando grosso, prendendo mulher em praça pública, fechando praia, então vê se o atual prefeito fez o que você achava que tinha que fazer ou não, e você decide seu voto — disse.

— Bem como os candidatos agora tem que ser questionados agora sobre isso, porque esse vírus vai durar por muito tempo. Então o cara assume em janeiro, tem que saber agora qual a posição dele. "Fica em casa, a economia a gente vê depois", olha o problema ai — completou.