Bolsonaro comemora suspensão dos ensaios da vacina chinesa contra covid-19

·1 minuto de leitura
O presidente Jair Bolsonaro, em Brasília, em 12 de agosto de 2020
O presidente Jair Bolsonaro, em Brasília, em 12 de agosto de 2020

O presidente Jair Bolsonaro comemorou nesta terça-feira (10) a suspensão dos ensaios clínicos da vacina chinesa CoronaVac no país, depois que um voluntário sofreu "um incidente grave".

Os pesquisadores afirmam que se trata de uma morte que não tem relação com a vacina. 

"Mais uma que Jair Bolsonaro ganha", declarou o presidente no Facebook junto com um link sobre a suspensão, em resposta a um internauta que perguntava se o governo compraria e produziria a vacina caso os ensaios - atualmente na fase 3 - mostrem que é eficaz e segura. 

Na segunda-feira à noite, a Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou que "decidiu interromper o ensaio clínico da vacina do laboratório da Sinovac após um incidente grave" em 29 de outubro.

A Anvisa não detalhou o ocorrido.

O diretor do Instituto Butantan - órgão público que coordena os testes -, Dimas Covas, afirmou em uma entrevista à TV Cultura que se trata de um "óbito não relacionado à vacina" e pediu explicações à Anvisa, cuja decisão lhe causou surpresa. 

A CoronaVac tem sido o centro de uma batalha política no Brasil entre um de seus maiores defensores, o governador de São Paulo João Dória, e seu principal rival político, o presidente Bolsonaro.

"Esta é a vacina que o Dória queria obrigar todos os paulistas a tomá-la", acrescentou o presidente em sua resposta ao internauta.

Bolsonaro, que subestimou a gravidade da pandemia e criticou as medidas de quarentena impostas em vários estados, referiu-se ao modelo da Sinovac como a vacina "desse outro país". No mês passado, cancelou um acordo de compra de 46 milhões de doses anunciado por seu próprio ministro da Saúde.

jm/mel/yow/aa/tt