Bolsonaro considerava pedir cidadania italiana caso perdesse eleição em 2018

Jair Bolsonaro considerou pedir cidadania italiana caso perdesse eleição em 2018. Foto: REUTERS / Ueslei Marcelino.
Jair Bolsonaro considerou pedir cidadania italiana caso perdesse eleição em 2018. Foto: REUTERS / Ueslei Marcelino.
  • Bolsonaro considerou pedir cidadania italiana se perdesse eleição;

  • Todos os filhos de Bolsonaro já reuniram documentos que permitem a obtenção da cidadania italiana;

  • Família Bolsonaro tem origem na comuna de Anguillara Veneta, na província italiana de Pádua.

O presidente Jair Bolsonaro (PL) cogitou pedir cidadania italiana caso perdesse a eleição presidencial de 2018. Em julho de 2017, ele afirmou que se mudaria do Brasil caso fosse derrotado no pleito.

“No meu entender, se tivermos em 2019 um governo que seja do PT, do PSDB ou do PMDB, acho que vai ser difícil eu permanecer no Brasil, porque a questão ideológica é tão ou mais grave do que a corrupção”, disse Bolsonaro, na época era deputado federal do Rio de Janeiro pelo PSC, à revista Veja.

Ao ser questionado para onde iria, caso perdesse a eleição, ele respondeu: “Não tenho cidadania ainda, mas a minha origem é italiana. Não pensei com mais seriedade, mas, se você fizer uma pesquisa, verá que o número de pessoas que estão pedindo dupla cidadania europeia tem aumentado muito.”

Na última semana, a coluna de Rodrigo Rangel, no Metrópoles, informou que todos os filhos de Bolsonaro já haviam se movimentado para obter cidadania italiana.

No dia 8 deste mês, nove dias após a derrota do pai, Flávio e Eduardo foram à embaixada da Itália em Brasília para avançar com o processo oficial que poderia garantir o passaporte para o país.

Depois, a mesma empresa especializada que reuniu os documentos para o procedimento dos irmãos 01 e 03 também o fez para Carlos, o 02, e Jair Renan, o 04. Contudo, não é possível afirmar se estes deram prosseguimento junto à embaixada.

A família Bolsonaro tem origem na comuna de Anguillara Veneta, na província italiana de Pádua, onde nasceu o bisavô do presidente. A região tem menos de 5 mil habitantes.

* Com informações do Metrópoles e da Veja.