Bolsonaro dá espaço a crítico de Witzel na segurança ao chamar Braga Netto

Maiá Menezes

Ao chamar o general Walter Braga Netto para a Casa Civil e elogiar publicamente o militar, o presidente Jair Bolsonaro trouxe de volta para o cenário político um crítico de Wilson Witzel em uma área prioritária para o governador do Rio de Janeiro: a segurança. Quando comandou a intervenção federal no Rio de Janeiro, Braga Netto foi enfaticamente contra a extinção da Secretaria de Segurança, medida tomada por Witzel assim que assumiu.

O que se espera é saber de que forma se dará a relação entre a Casa Civil e os projetos de segurança do Rio de Janeiro, caso se concretize a nomeação do ex-interventor. Braga Netto conhece bem o aparato de segurança pública do Rio de Janeiro e quais os problemas que têm de ser enfrentados.

Witzel já é alvo costumeiro de ataques do presidente, que o considera um traidor que se aproveitou do apoio de Flávio Bolsonaro para se eleger. Além disso, tem de conduzir negociações delicadas com o Tesouro Nacional para manter a ajuda que o estado recebeu por estar em Regime de Recuperação Fiscal. Agora, entre ele e o presidente, deverá haver um ministro que foi frontalmente contrário a uma das principais bandeiras do governador.