Bolsonaro dá resposta atravessada quando questionado sobre dólar

(AP Photo/Pavel Golovkin, Pool)

O presidente Jair Bolsonaro se recusou a comentar a alta do dólar comercial, que nesta segunda-feira fechou na maior cotação da história, a R$ 4,20, com a guerra comercial entre EUA e China.

Ao ser questionado sobre a escalada da moeda, Bolsonaro sugeriu que jornalistas falassem com o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.

Leia também

- Dólar subiu? Conversa... Quer o telefone do Roberto Campos? - respondeu ao jornalistas, encerrando a conversa na portaria do Palácio do Alvorada, onde parou para falar com apoiadores.

Com as negociações comerciais entre China e EUA a passos lentos, o dólar comercial fechou em alta nesta segunda-feira e atingiu novo valor máximo desde o início do Plano Real.

A moeda americana fechou cotada a R$ 4,206, uma alta de 0,32%, superando a máxima histórica que era de 13 de setembro de 2018, quando encerrou negociado a R$ 4,195, na reta final da eleição presidencial.

Na quinta-feira passada, antes do feriado da Proclamação da República, o dólar comercial já havia tocado nos R$ 4,20, mas recuou para R$ 4,192 no fechamento da sessão. Nesta segunda, na máxima, chegou a tocar em R$ 4,209. Para Ricardo Gomes, diretor da Correparti, corretora de câmbio, há muitos fatores pressionando a moeda americana atualmente. No ano, o dólar acumula valorização de 8,56% frente o real. No mês, a alta é de 4,89%.

Da AGÊNCIA O GLOBO