Bolsonaro fala sobre ida a debates: 'Todos estão contra mim. Vou levar pancada'

Presidente Jair Bolsonaro em Los Angeles, nos Estados Unidos (Foto: REUTERS/Daniel Becerril)
Presidente Jair Bolsonaro em Los Angeles, nos Estados Unidos (Foto: REUTERS/Daniel Becerril)

Em entrevista à rádio CBN Recife na manhã desta segunda-feira (13), o presidente Jair Bolsonaro (PL) falou sobre a ida a debates no primeiro turno das eleições deste ano. Ele afirmou que vai levar "pancada o tempo todo". Além disso, disse que pode debater com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) “agora mesmo” e que “não tem problema nenhum”.

“O que acontece num clima desses? Os outros candidatos vão nos debates, todos para baterem em mim. Todos estão contra mim. Então, vou levar pancada o tempo todo e não vou poder me defender", disse.

"O que é lamentável em um debate é que se baixa o nível. Mas, se for o caso, comparecerei aos debates no primeiro turno, sim. Depende das circunstâncias. Só não quero bater o martelo agora para dizerem depois que eu recuei", continuou.

Em maio, o chefe do Executivo havia afirmado que, caso avance na disputa, irá participar dos debates no segundo turno. Segundo ele, as perguntas deveriam ser “pré-acertadas para não baixar o nível”.

Já Lula defende um modelo de debates parecido com o que acontece nos Estados Unidos. De acordo com o colunista do UOL Kennedy Alencar, a ideia é que no máximo três eventos aconteçam no primeiro turno, unindo diversos veículos de comunicação em cada um deles.

Repercussão

A notícia de que o presidente Jair Bolsonaro (PL) pediu ajuda a Joe Biden contra a candidatura de Lula deixou os aliados do petista inconformados.

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) disse à coluna do jornalista Chico Alves, do UOL, que tanto na legislação brasileiro quanto na americana, o atual presidente deveria ser afastado do cargo imediatamente e responder por traição à pátria. Randolfe alegou que isso não deve ocorrer porque Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara, e Augusto Aras, procurador-geral da República, compactuam com Bolsonaro.

Randolfe afirma que dará entrada em notícia-crime contra Bolsonaro, solicitando investigação ao Supremo Tribunal Federal (STF). Ele também disse que “cabe mais um pedido de impeachment".

A presidente do PT, deputada Gleisi Hoffmann, declarou que é humilhante para o Brasil ter um presidente assim. "Despreza a soberania popular. O que está negociando o vadio Bolsonaro em troca desse apoio?", questiona ela. "É a síndrome de vira-lata elevada à enésima potência, uma vergonha ter um presidente que suplica aos americanos por um golpe", disse ao UOL.

Já o senador Renan Calheiros (MDB-AL), que também é aliado de Lula, concluiu que a atitude de Bolsonaro representa desespero.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos