Bolsonaro defende ações simultâneas para preservar a saúde das pessoas e preservar empregos

Eliane Oliveira

BRASÍLIA - Criticado por suas declarações sobre a pandemia de coronavírus, como a de que a Covid-19 é uma "gripezinha", o presidente Jair Bolsonaro defendeu nesta quinta-feira, ao participar de uma reunião de líderes do G-20, a necessidade de proteger a saúde da população e, ao mesmo tempo, manter a economia aquecida. Segundo um integrante do governo que acompanhou a videoconferência, Bolsonaro disse que é preciso proteger os empregos, levando em conta as pessoas mais vulneráveis à crise provocada pela pandemia de coronavírus.

O presidente também falou sobre o avanço das pequisas realizadas no Brasil, nos Estados Unidos e em outros países sobre o tratamento com hidroxicloroquina. O remédio, atualmente usado por pessoas portadoras de malária, lupus e artrite reumatoide, teve seu ingresso no país facilitado pela redução a zero da tarifa de importação em ato publicado hoje no Diário Oficial da União.

Após a reunião do G-20, o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, ressaltou que um dos pontos fortes da reunião foi a confirmação de que a preservação de empregos é tão importante quanto a frente da saúde no combate ao coronavírus e seus efeitos. Outro ponto destacado pelo chanceler foi o compromisso de se manter os fluxos comerciais e as cadeias de suprimento simultaneamente com empenho de encontrar a vacina e a cura da Covid19.