Bolsonaro defende que toda população compre fuzis

·1 minuto de leitura
Presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia no Palácio do Planalto

Por Eduardo Simões

SÃO PAULO (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro defendeu nesta sexta-feira em conversa com apoiadores na saída do Palácio da Alvorada que toda a população compre fuzis e afirmou que aqueles que não têm intenção de adquirir o armamento não devem "encher o saco" daqueles que quiserem comprar.

Na conversa com apoiadores antes de embarcar para Goiás, onde deve participar de um passeio de moto nesta sexta, o presidente também disse que a alta da inflação não depende dele e chegou a dizer que sua vida está em risco enquanto ocupa a Presidência.

"Tem todo mundo que comprar fuzil, pô! Povo armado jamais será escravizado", disse Bolsonaro aos apoiadores. "Tem o idiota 'ah, tem que comprar feijão'. Cara, se não quer comprar fuzil, não enche o saco de quem quer comprar", acrescentou.

O presidente voltou a responsabilizar os governadores de Estado pelos preços do gás e da gasolina, que classificou de "abusivos".

"Temos problemas? Temos. Eu não quero inflação alta, mas tem coisa que não depende da gente", disse o presidente.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos