Bolsonaro define critérios para uso de imóveis funcionais da Presidência

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
*ARQUIVO* BRASILIA, DF,  BRASIL,  14-12-2021, 12h00: O presidente Jair Bolsonaro participa de evento de lançamento programa Rodovida 2022, da Polícia Rodoviária Federal, no Palácio do Planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVO* BRASILIA, DF, BRASIL, 14-12-2021, 12h00: O presidente Jair Bolsonaro participa de evento de lançamento programa Rodovida 2022, da Polícia Rodoviária Federal, no Palácio do Planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O governo Jair Bolsonaro (PL) publicou nesta quarta-feira (29) uma portaria em que estabelece critérios para utilização de imóveis funcionais da Presidência da República.

A portaria compila determinações anteriores sobre o tema e detalha os deveres do permissionário, os prazos, os critérios de desempate entre servidores para definir quem poderá ocupar os imóveis.

Um dos artigos da portaria estabelece que é vedada a cessão de uso de imóvel funcional a servidor quando ele ou seu cônjuge for proprietário ou cessionário de imóvel residencial em Brasília.

O artigo coloca como exceções os ministros e o Advogado-Geral da União, que, portanto, poderão solicitar imóveis funcionais mesmo se tiverem residências em Brasília, o que já estava definido no decreto 980/1993.

O jornal Folha de S.Paulo revelou em janeiro de 2018 que Bolsonaro, à época deputado, recebia auxílio-moradia da Câmara mesmo tendo um imóvel em Brasília.

Questionado se usou o dinheiro do benefício para comprar seu apartamento, ele respondeu: "Como eu estava solteiro naquela época, esse dinheiro de auxílio moradia eu usava pra comer gente".

Na mesma entrevista, disse que venderia seu imóvel próprio e pediria um apartamento funcional à Câmara.

A portaria estabelece que os ministros têm prioridade nos pedidos de imóveis funcionais, seguidos por ocupantes de cargos de natureza especial na Presidência e por ocupantes de cargos em comissão do Grupo-Direção e Assessoramento Superiores na Presidência.

Também não poderá utilizar imóveis funcionais quem estiver devendo qualquer valor à União em decorrência de utilização anterior desses espaços, ocupando outro imóvel funcional ou recebendo auxílio-moradia.

A portaria foi assinada pela Secretaria Especial de Administração da Secretaria-Geral da Presidência.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos