Bolsonaro diz que é contra obrigar adolescentes a tomarem vacina contra a Covid-19

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

BRASÍLIA — Um dia após o Ministério da Saúde editar uma nota técnica para orientar a aplicação da vacina contra a Covid-19 em adolescentes, o presidente Jair Bolsonaro disse que é contra a obrigatoriedade de imunização dos brasileiros de 12 a 17 anos.

— Como posso entrar numa guerra dessas da obrigatoriedade, se a decisão cabe aos prefeitos e governadores. Posso falar que sou contra vacinar menores de 12 a 17 anos, de acordo com o Ministério da Saúde. Mas os governadores e prefeitos podem ignorar. Se tem estudo cientificamente comprovado, tudo bem. Nesse momento, a Anvisa diz que pode ser com a Pfizer. Mas perguntamos se continua que a Pfizer não se responsabiliza por efeitos colaterais. Parece que continua — disse Bolsonaro.

O presidente afirmou que irá voltar a conversar com Marcelo Queiroga, ministro da Saúde, sobre a questão.

— Queiroga! Para liberar tem que ter estudos que comprovam. Ou se der problema vai estourar no teu colo. Em última análise, no meu. Se não falo com o ministério, sou omisso. Se falo, estou interferindo. O que está faltando é um comandante — disse o presidente.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos