Bolsonaro diz que alertou parentes sobre possível busca e apreensão relacionada a compra de imóveis

Presidente Jair Bolsonaro em Brasília

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente e candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesta quinta-feira que avisou irmãos e outros familiares sobre eventual busca e apreensão em suas casas relacionada a denúncia de suposta compra de imóveis com dinheiro vivo, e alegou que uma operação do tipo serviria para criar um "escândalo na mídia".

O presidente referiu-se à denúncia publicada em reportagem do portal UOL, que levantou a compra de diversos imóveis desde a década de 1990 por Bolsonaro, sua mãe, irmãos, filhos e ex-mulheres. Segundo o portal, 51 desses bens teriam sido pagos total ou parcialmente "em moeda corrente nacional", o que, de acordo com o site, é expressão padronizada para repasses em espécie.

"Já liguei para os meus irmãos. Meus parentes. ‘Cuidado que vão fazer uma busca e apreensão na casa de vocês. Já estou avisando. Vão fazer busca e apreensão na casa de vocês daqui a poucos dias’. Para ter aquele escândalo na mídia", disse o presidente na tradicional live das quintas-feiras nas redes sociais.

Bolsonaro, que negou irregularidades nas casas compradas por ele e seus familiares, argumentou ainda que não "entra na Justiça" sobre o que alega ser "fake news" por que até as eleições não "daria tempo de ver alguma coisa".

O presidente argumentou, ainda, que a expressão "moeda corrente nacional" não permite a conclusão de que foi usado dinheiro vivo, citando como fonte, segundo ele, um posicionamento do Colégio Notarial do Brasil.

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)