Bolsonaro diz que ato com participação de Pazuello não teve 'viés político'

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA — O presidente Jair Bolsonaro afirmou que o ato realizado no Rio de Janeiro no domingo em seu apoio não teve "nenhum viés político" porque ele não está filiado a nenhum partido. A justificativa é semelhante à que foi apresenta pelo ex-ministro Eduardo Pazuello, em sua defesa em um processo administrativo no Exército, por ter participado do ato.

— É um encontro que não teve nenhum viés político, até porque eu não estou filiado a partido político nenhum ainda. Foi um movimento pela liberdade, pela democracia. Em apoio ao presidente — disse Bolsonaro, em transmissão ao vivo pela internet.

Pazuello, que é general da ativa, é alvo de um processo disciplinar no Exército por ter participado do ato, já que militares da ativa não podem participar de manifestações políticas. O ex-ministro apresentou nesta quinta-feira sua defesa.

De acordo com a colunista Bela Megale, uma das linhas de defesa de Pazuello é alegar que o ato não era político-partidário. Na tentativa de embasar seu argumento, o ex-ministro da Saúde sustenta que Bolsonaro não é filiado a nenhum partido e que não há campanha em andamento no país.

Já o vice-presidente Hamilton Mourão disse nesta quinta, ao falar sobre uma possível punição a Pazuello, que a aplicação da regra é necessária para evitar que "a anarquia se instaure" nos quartéis.