Bolsonaro diz que banqueiros patrocinam carta pela democracia

Jair Bolsonaro (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Jair Bolsonaro (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

Em conversa com apoiadores nesta quinta-feira (28), o presidente Jair Bolsonaro (PL) falou sobre o manifesto em devesa da democracia organizado pela Faculdade de Direito da USP (Universidade de São Paulo) que, segundo ele, é “patrocinado” por banqueiros que teriam se voltado contra seu governo depois do sistema de pagamento Pix.

“Você pode ver que esse negócio de ‘carta aos brasileiros pela democracia’ é os banqueiros que estão patrocinando. É o Pix, que eu dei uma paulada neles e os bancos digitais também que nós facilitamos. Nós estamos tirando o monopólio dos bancos”, declarou o mandatário no Palácio da Alvorada, em Brasília. O registro foi feito pelo site Poder 360.

O ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, já havia feito a mesma afirmação em sua conta no Twitter. De acordo com ele, o manifesto acontece por conta da independência que Bolsonaro deu ao Banco Central.

Na quarta (27), Bolsonaro afirmou que não precisa de “nenhuma cartinha” para falar que “defende a democracia” nem de sinalização de apoio de “quem quer que seja” para mostrar que o caminho é “democracia, liberdade e respeito à Constituição”.

Hackers

O site que colega assinaturas para a “Carta às brasileiras e aos brasileiros em defesa do Estado democrático de Direito”, manifesto em prol da democracia, já sofreu centenas de tentativas de ataques hackers desde a última terça (26), quando foi divulgado ao público.

Segundo informações da colunista Monica Bergamo, da Folha de S. Paulo, foram 1.538 tentativas de invasão ao endereço do “Estado de Direito Sempre”.

O documento tem caráter suprapartidário e prega a manutenção da democracia no Brasil.

“Ao invés de uma festa cívica, estamos passando por momento de imenso perigo para a normalidade democrática, risco às instituições da República e insinuações de desacato ao resultado das eleições”, diz o texto.