Bolsonaro diz que 'dá para diminuir' preço do gás de cozinha e que conversa com presidente da Petrobras

·1 minuto de leitura

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira que "dá para diminuir" o preço do gás de cozinha e que está conversando com o presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna, sobre isso. Bolsonaro também disse que não pode ser culpado pelo preço da gasolina, motivo que levou á demissão do antecessor de Silva e Luna na estatal, Roberto Castello Branco.

— O que não pode é o pessoal me culpar pelo preço da gasolina. Eu zerei, por exemplo, todos os impostos do gás de cozinha. Estamos trabalhando com o novo presidente da Petrobras como diminuir (o preço) do botijão de gás de 13kg lá na origem, que hoje está em R$ 42. Dá para diminuir — disse o presidente, durante evento de entrega de títulos de propriedade em Terenos (MS).

Dirigindo-se a uma plateia de agricultores, Bolsonaro também afirmou que o Banco do Brasil atua "de forma mais simpática" depois de ele ter trocado "todo mundo". Em março, André Brandão pediu demissão da presidência do banco após uma série de desgastes com Bolsonaro.

— Nós sabemos que com medidas como essa tomada pelo presidente da Caixa, Pedro Guimarães, pelo Banco do Brasil, que já tradicionalmente age nessa área...Agora de forma mais simpática a vocês, porque nós trocamos também todo mundo no Banco do Brasil. Quando eu troco, eu troco todo mundo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos