Bolsonaro diz que Elizabeth 2ª foi uma "rainha para todos"; decreta luto de 3 dias

Presidente Jair Bolsonaro

BRASÍLIA (Reuters) -O presidente Jair Bolsonaro disse em uma rede social que Elizabeth 2ª, monarca do Reino Unido que morreu nesta quinta-feira aos 96 anos, não foi apenas a rainha dos britânicos, mas uma rainha para todos, cujo exemplo de liderança, humildade e amor à pátria seguirá inspirando o mundo inteiro.

Bolsonaro citou uma declaração da rainha --"Quando a vida parece difícil, os corajosos não se deitam e aceitam a derrota; em vez disso, estão ainda mais determinados a lutar por um futuro melhor"-- para exaltar a importância da monarca para o mundo.

"Com tais palavras, a rainha Elizabeth 2ª mostra por que não foi apenas a rainha dos britânicos, mas uma rainha para todos nós", afirmou o presidente em publicação no Twitter.

"É com grande pesar e comoção que o Brasil recebe a notícia do falecimento de Sua Majestade a rainha Elizabeth 2ª, uma mulher extraordinária e singular, cujo exemplo de liderança, de humildade e de amor à pátria seguirá inspirando a nós e ao mundo inteiro até o fim dos tempos", acrescentou.

Bolsonaro também decretou luto oficial de três dias no Brasil em razão do falecimento da monarca. O presidente disse que ainda avalia se irá prestar as últimas homenagens pessoalmente no funeral da monarca, ponderando que a viagem ocuparia dias em sua agenda de campanha à reeleição.

"O protocolo ainda não sabemos quando serão os atos da sua despedida. E de acordo com o protocolo, a gente decide o que fazer", disse o presidente em entrevista ao jornal Correio Braziliense.

"Eu, particularmente, estamos em campanha, andando pelo Brasil, vamos analisar se é o caso ir ou não. Seriam dois dias na nossa agenda. Mas caso não seja possível, nós vamos mandar uma comitiva nossa", afirmou, referindo-se à rainha como uma "pessoa fantástica" e reiterando suas condolências.

Bolsonaro enfrenta uma corrida eleitoral difícil pelo Palácio do Planalto com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que vem liderando as pesquisas eleitorais para a votação em 2 de outubro.

Em comunicado, o Ministério das Relações Exteriores também manifestou "profundo pesar" pelo falecimento da rainha e destacou os mais de 70 anos do seu reinado, em especial visita feita ao Brasil.

A monarca mais longeva na história do Reino Unido foi símbolo de liderança e estabilidade para o país e para o mundo", afirmou o Itamaraty.

"Sua visita em 1968, ao lado do Duque de Edimburgo, a Recife, Salvador, Brasília, São Paulo, Campinas e Rio de Janeiro é lembrada pelo governo e pelo povo brasileiro como marco da amizade entre o Brasil e o Reino Unido", disse o ministério.

O Itamaraty afirmou que relembrar a visita da monarca é valorizar a parceria estratégica entre o Brasil e o Reino Unido, que abrange uma série de áreas como comércio, saúde e investimentos e que tem, como objetivo maior, contribuir para o bem-estar de brasileiros e britânicos, em prol do progresso de ambos os países.

"O governo brasileiro transmite suas sentidas condolências à família real, bem como ao governo e ao povo do Reino Unido e dos demais membros da Commonwealth", finalizou.

(Reportagem de Ricardo Brito e Maria Carolina MarcelloEdição de Alexandre Caverni e Pedro Fonseca)