Bolsonaro diz que encaminhou à PF comentário que o irritou em publicação nas redes sociais

Gustavo Maia
·2 minuto de leitura

BRASÍLIA — O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira, em transmissão ao vivo pelas redes sociais, que encaminhou à Polícia Federal um comentário que recebeu em uma publicação nas suas redes sociais. Citando apenas os primeiros dois nomes do autor da mensagem, Carlos Eduardo, Bolsonaro disse que ele "vai se explicar" à PF por ter escrito que traficantes de drogas presos pela corporação e pela Marinha em Pernambuco, no início da semana, só foram detidos porque não pagaram propina. O presidente contou que ficou "bastante chateado" e afirmou que não pode aceitar "uma acusação dessa".

O post citado por Bolsonaro foi publicado nas suas redes na manhã de quarta-feira. Mas a reportagem do GLOBO não conseguiu localizar no Facebook, Instagram ou Twitter o comentário mencionado pelo presidente. Na live, ele comentou que a Polícia Federal realizou a maior apreensão de cocaína do ano em um veleiro na costa de Pernambuco, em trabalho conjunto com a Marinha do Brasil. E reclamou do comentário.

— E daí, curiosidade apenas, o pessoal faz comentários ali (na postagem). Então, a maioria dos comentários realmente colaboram, emitem uma opinião, alguns querem saber o que é feito com a droga, porque acham que essa droga aí é desviada (...) Agora, teve um comentário aqui que realmente deixa a gente bastante chateado. Não vou falar o nome todo do cara, não, Carlos Eduardo e um sobrenome aqui. E ele falou aqui que quatro meliantes que estavam no veleiro só foram apreendidos porque não pagaram a propina.

Bolsonaro então disse que o autor do comentário debochou da PF e da Marinha e, por isso, ele teve que dar uma resposta: "Prezado Carlos Eduardo de tal, enviarei sua denúncia à PF".

— Ou seja: então a Polícia Federal, com toda a certeza, vai entrar em contato com o senhor Carlos Eduardo, tem mais o sobrenome dele aqui, para ele então denunciar o pessoal da PF e da Marinha. Só apreenderam os caras porque eles não pagaram a propina, né? Então ele vai se explicar.

O presidente concluiu reclamando da desqualificação do trabalho das corporações:

— É um trabalho meticuloso, realmente crítico, são dias e dias, por vezes meses de investigação, consegue atingir o objetivo, daí um cidadão como esse aí, pra desqualificar o trabalho da PF e da Marinha do Brasil diz que, como os traficantes não pagaram propina, por isso que eles foram presos e as drogas apreendidas. Então ele tem a chance agora de explicar à Polícia Federal o que é que realmente aconteceu. Porque uma acusação dessa a gente não pode aceitar.