Bolsonaro diz que errou em fala sobre TCU, mas insiste em supernotificação da Covid-19

·2 minuto de leitura
Bolsonaro admitiu que passou informação errada sobre o TCU (Evaristo Sá/AFP via Getty Images)
Bolsonaro admitiu que passou informação errada sobre o TCU (Evaristo Sá/AFP via Getty Images)
  • Bolsonaro admitiu ter errado ao citar um suposto relatório do TCU

  • O próprio órgão já havia desmentido publicamente o presidente

  • Mesmo assim, ele manteve as acusações de supernotificação de casos de Covid-19

Depois de ser desmentido pelo Tribunal de Contas da União (TCU), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) admitiu nesta terça-feira que errou ao citar uma suposta tabela do órgão questionando o número de mortos por Covid-19 no Brasil.

Na última segunda-feira, em conversa com seus apoiadores no Palácio da Alvorada, Bolsonaro disse que um relatório do TCU afirma que "50% dos óbitos por Covid-19 não foram por Covid-19”.

Leia também

O próprio órgão apressou-se em desmentir o presidente e divulgou nota afirmando que “não há informações em relatórios do tribunal que apontem” os dados citados por Bolsonaro.

“O TCU está certo, eu errei quando falei em tabela”, declarou o presidente nesta terça-feira, em nova conversa com seus apoiadores. “A tabela quem fez fui eu. Então, o TCU acertou em falar que a tabela não é deles. A imprensa usa para falar que fui desmentido, o tempo todo é assim, mas não tem problema.”

Presidente costuma conversar diariamente com seus apoiadores (Evaristo Sá/AFP via Getty Images)
Presidente costuma conversar diariamente com seus apoiadores (Evaristo Sá/AFP via Getty Images)

Apesar do reconhecimento no erro da informação, Bolsonaro não mudou o tom em relação ao discurso de supernotificação de casos de Covid-19, mesmo com diversos estudos apontando, na realidade, uma subnotificação no país. O presidente afirmou que trata-se de uma estratégia dos governadores para aumentar a arrecadação dos estados.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

“O que acontece é que tem uma lei complementar do ano passado que diz que a distribuição de verbas do Governo Federal para estados levava em conta alguns critérios. O mais importante era a incidência de Covid-19”, disse o presidente, que voltou a atacar as políticas mais restritivas de isolamento social promovidas por alguns estados.

“Em cima disso, para justificar, por parte de alguns estados, o lockdown, a política de fechar tudo, de toque de recolher. Aí, o político vem e fala: ‘No meu estado está morrendo muita gente’”, comentou.

Presidente promete “investigação”

O presidente não apresentou a tabela citada por ele sobre a suposta supernotificação nos casos de Covid-19. Mesmo assim, afirmou que vai ordenar uma investigação sobre o caso.

“Via Controladoria Geral da União, vamos fazer uma investigação em cima disso. É um indício fortíssimo”, considerou. “Nós vamos para cima agora, para apurar quais estados fizeram supernotificação por mais dinheiro.”

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos