Bolsonaro diz que está 'em cima' de Guedes para liberar recursos para obras

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA — O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quarta-feira que está "em cima" do ministro da Economia, Paulo Guedes, para que ele consiga R$ 5 bilhões para serem investidos na manutenção de rodovias. De acordo com Bolsonaro, a solicitação de recursos foi feita pelo ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.

— Estou em cima do Paulo Guedes para arranjar, a pedido do Tarcísio, por volta de R$ 5 bilhões, que é muito pouco perto do total do Orçamento, para a gente fazer a manutenção da malha federal pelo Brasil — disse Bolsonaro, em entrevista à rádio Guaíba.

No mês passado, o GLOBO revelou que o Ministério da Infraestrutura havia pedido a liberação de R$ 2,4 bilhões para o ano de 2021. Destes recursos, o ministério afirmou na época que precisava" urgentemente" de R$ 1 bilhão até o início do segundo semestre para evitar a interrupção de obras em rodovias.

Na entrevista desta quarta, Bolsonaro afirmou que "todo mundo ganha" com obras em estradas. O presidente ressaltou, no entanto, que o Orçamento é "complicado" e que é preciso respeitar o teto de gastos:

— A vantagem disso daí é que você diminui o custo do caminhoneiro. Menos peça de reposição, menos pneu estourado, mais agilidade no transporte da carga. Todo mundo ganha com isso. Agora, é um Orçamento complicado. Nós temos um teto de gastos. E esse teto é responsabilidade minha e do Paulo Guedes, tem que ser mantido.

O presidente ainda disse que "muitas vezes" retira recursos de outros ministérios para passar para a Infraestrutura:

— A cada 15 dias a gente tem reunião da Junta Especial de Orçamento (Junta de Execução Orçamentária) aqui em Brasília. Muitas vezes a gente é obrigado a tirar de outros ministérios para botar no ministério do Tarcísio.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos