Bolsonaro diz que "extrapolou" no 7 de Setembro e Temer sugeriu dar uma "acalmada"

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
O presidente Jair Bolsonaro no Palácio do Planalto (Foto: AP Photo/Eraldo Peres)
O presidente Jair Bolsonaro no Palácio do Planalto (Foto: AP Photo/Eraldo Peres)
  • Bolsonaro afirmou que "extrapolou em algumas coisas que falou" nos atos de 7 de Setembro

  • O presidente disse ainda que foi procurado pelo ex-presidente Michel Temer para "dar uma acalmada"

  • Em entrevista, ele comentou ainda sobre as eleições do ano que vem

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que "extrapolou em algumas coisas que falou" nos atos de 7 de Setembro e que foi procurado pelo ex-presidente Michel Temer para "dar uma acalmada" no clima tenso. As declarações foram dadas em entrevista à revista Veja.

"Depois das manifestações de 7 de setembro, houve a reação do STF. Teve o telefonema do Temer, ele falou para mim: “O que a gente pode fazer para dar uma acalmada?”. Respondi que o que eu mais queria era acalmar tudo", destacou o presidente sobre as conversas com Temer.

Leia também:

Bolsonaro foi criticado pelo discurso com ataques à democracia feito durante as manifestações. Dois dias depois, uma carta do presidente foi divulgada em que ele ressaltava que "quero declarar que minhas palavras, por vezes contundentes, decorreram do calor do momento e dos embates que sempre visaram o bem comum". O documento foi elaborado com a ajuda de Temer.

"Vai ter eleição, não vou melar", diz Bolsonaro

Na imagem, o presidente Jair Bolsonaro na Assembleia Geral da ONU (Foto:AFP / POOL / EDUARDO MUNOZ)
O presidente Jair Bolsonaro na Assembleia Geral da ONU (Foto:AFP / POOL / EDUARDO MUNOZ)

Ainda na entrevista à revista Veja, Bolsonaro foi questionado sobre o pleito presidencial do ano que vem. O presidente tem feito ataques ao sistema eleitoral brasileiro e defendido o voto impresso, que já foi derrotado no Congresso. "Vai ter eleição, não vou melar, fique tranquilo, vai ter eleição", afirmou.

Questionado sobre o fato de que as pesquisas têm mostrado que ele perderia para o ex-presidente Lula, Bolsonaro voltou a tocar no tema do voto impresso. "Se o Lula está tão bem, como diz o Datafolha, por que não garantir a eleição dele com o voto impresso?", comentou.

O presidente falou ainda sobre quem deverá ser escolhido para ser seu vice no ano que vem e confirmou que vai tentar a reeleição. "O Mourão não tem a vivência política. Praticamente zero. E depois de velho é mais difícil aprender as coisas. Mas no meu entender, seria um bom senador. Sobre o partido, eu não vou fugir de de estar com esses partidos, conversando com eles. O PTB ofereceu pra mim também".

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos