Bolsonaro diz que mandou investigar suposta diferença de preço na CoronaVac

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA — O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira que mandou investigar uma suposta oferta da CoronaVac que custaria metade do preço cobrado pelo Instituto Butantan. Bolsonaro disse mandou a Controladoria-Geral da União (CGU) e o Ministério da Justiça investigar o caso, e que fará o mesmo com o Tribunal de Contas da União (TCU).

Em entrevista à rádio Banda B, Bolsonaro disse que recebeu documentos da "empresa que fabrica da CoronaVac", sem deixar claro se estava se referindo à Sinovac, oferecendo a vacina a US$ 5, enquanto o Insituto Butantan cobra US$ 10.

— Chegou documentação para nós, não vou entrar em muito detalhe, a empresa que fabrica a CoronaVac, matriz que fornece o IFA é na China, oferecendo para nós, agora, essa vacina a cinco dólares — afirmou.

O presidente disse que conversou com o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e que depois pediu para o caso ser investigado por órgãos do governo.

— O que nós fizemos de imeditado? Queiroga conversou comigo, encaminhamos esse oferecimento de vacina para a CGU, Controladoria-Geral da União. Ontem encaminhamos ao Ministério da Justiça e hoje encaminharemos para o Tribunal de Contas da União para que seja investigado. Por que metade do preço agora?

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos