Bolsonaro diz que não ofereceu a partidos ministérios, estatais ou presidências de bancos

Daniel Gullino
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA — O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira que não ofereceu a partidos o comando de nenhum ministério, presidência de banco ou estatais. Bolsonaro não mencionou, no entanto, cargos no segundo escalão, que estão sendo negociados com partidos do Centrão.

— Não existe nenhum ministério sendo oferecido para ninguém, como aconteceu no passado, nenhuma presidência de banco oficial e tampouco estatais. Esse é o nosso trabalho, vai continuar sendo feito dessa maneira — disse Bolsonaro em entrevista à rádio Guaíba.

O presidente disse que conversa com líderes de "todos os partidos", exceto os de esquerda:

— Quanto ao conversar com partidos ao centro, eu converso com líderes de todos os partidos exceto essa esquerda aí que é irrecuperável.

Nesta quinta-feira, o GLOBO mostrou que o o governo comunicou a deputados federais que a "análise de currículo" das novas indicações do centrão a cargos tem um prazo de quinze dias úteis.

A conta-gotas, porém, as indicações devem começar a sair. Foi nomeado nesta quarta-feira no Recife (PE) um novo superintendente da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), por exemplo, indicado por André Ferreira (PE), líder do PSC na Câmara. Carlos Fernando Ferreira da Silva Filho entrou no lugar de um indicado de Silvio Costa Filho (Republicanos-PE), que estava no posto há poucos meses.

As negociações em torno dos cargos mais importantes envolvem quatro partidos: PP, PL, Republicanos e PSD. Eles definiram entre eles quem iria pedir o quê e fizeram as solicitações no início da semana passada. As presidências do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), do Banco do Nordeste e da Codevasf são as mais cobiçadas.