Bolsonaro diz que não pode resolver alta do dólar "na canetada"

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Presidente Jair Bolsonaro
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Por Maria Carolina Marcello

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira que sofre pressão por conta da alta do dólar e do impacto no preço dos combustíveis, mas ressaltou que não pode resolver a situação "na canetada".

Ao voltar a reclamar da repercussão internacional negativa de seu governo, principalmente em relação à política ambiental, Bolsonaro argumentou que isso afugenta o investimento externo do Brasil.

"Essas pessoas se gabam de criticar o seu país", disse o presidente na tradicional transmissão semanal ao vivo pelas redes sociais.

"E quando investidores fogem, isso tem reflexo no preço do dólar, né. O pessoal quer que baixe o dólar na canetada... e tem reflexo no preço do combustível. Isso é uma outra história, é uma bola de neve", afirmou.

Bolsonaro também aproveitou a live e o tema ambiental para adiantar que pretende conversar com a Caixa Econômica Federal para tratar de uma possível linha de crédito para a instalação de placas fotovoltáicas em residências.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos