Bolsonaro diz que pediu investigação sobre suposta diferença de preço na Coronavac

·1 minuto de leitura

BRASÍLIA — O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira que recebeu oferta da Sinovac Biotech para comprar a Coronavac pela metade do preço que seria cobrado pelo Instituto Butantan. De US$ 10, cairia para US$ 5. Além disso, disse que solicitou investigações sobre o caso. Contudo, não apresentou provas ou documentos que comprovassem a denúncia.

— A empresa que fabrica a Coronavac (Sinovac Biotech), lá na matriz que fornece o IFA na China, está oferendo para nós agora essa vacina a US$ 5, de imediato. O (ministro da Saúde, Marcelo) Queiroga conversou comigo, encaminhamos esse oferecimento de vacinas à CGU, ontem encaminhamos ao Ministério da Justiça e, hoje, encaminharemos ao Tribunal de Contas da União para que seja investigado por que metade do preço agora.

Bolsonaro, que já disse que seu governo não compraria a CoronaVac e ainda questiona a eficácia das vacinas, também declarou que notificou o Instituto Butantan e que gostaria de explicações:

— O Butantan também foi oficiado por nós para que se explique por que a matriz oferece a vacina a US$ 5 e eles, ao receber o IFA da China, nos revendem a US$ 10 — afirmou em entrevista à Rádio Banda B.

O GLOBO questionou o Ministério da Saúde, o Instituto Butantan, a Controladoria-Geral da União (CGU) e o Tribunal de Contas da União (TCU), mas não obteve resposta até a publicação deste texto. A reportagem não conseguiu localizar a Sinovac Biotech.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos