Bolsonaro diz que, se pudesse, teria 'cancelado' investigações contra Flávio

Foto: REUTERS/Adriano Machado

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse neste sábado (4), durante uma transmissão ao vivo em sua página oficial no Facebook, que, se pudesse, teria cancelado as investigações do Ministério Público do Rio de Janeiro contra o filho, o senador Flávio Bolsonaro.

“Alguns acham que eu estou articulando, armando. Se eu pudesse armar como esses caras pensam, teria armado lá atrás”, comentou o presidente, citando críticas que teria recebido da imprensa. “[Dizem que] ‘o caso do Flávio não foi para a frente porque o Bolsonaro conseguiu trancar o processo’. Se eu tivesse força de trancar, teria anulado, cancelado.”

Leia também

Flávio é investigado pelo MP do Rio por prática de “rachadinha” - contratar funcionários fantasmas e ficar com uma parte do salário deles - quando era deputado na Assembleia Legislativa do Estado (Alerj), entre 2003 e 2018. O senador nega as acusações.

Segundo o presidente, a investigação contra Flávio é “uma armação que vem lá do governo do Rio de Janeiro”. Bolsonaro acusa o governador fluminense Wilson Witzel (PSC) de tentar manchar a sua reputação por ter interesse em se eleger presidente da República em 2022.

“Se o Flávio for absolvido hoje, vão falar que eu interferi”, acrescentou Bolsonaro. “Se [Flávio] errou, pau [nele]. Mas é um absurdo o que estão fazendo.”

Veja a live completa:

Na mesma transmissão ao vivo pelo Facebook, Bolsonaro também comentou o caso Marielle - e disse ter “suspeitas” de quem mandou matar a deputada em 2018, sem citar nomes - e afirmou, em tom de brincadeira, que “quase todo cearense é cabeçudo”.