Bolsonaro diz ter determinado Itamaraty a felicitar 'o tal Boric', quatro dias depois da vitória do chileno

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Jair Bolsonaro
    38.º presidente do Brasil
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 14.12.2021 - O presidente Jair Bolsonaro (PL) durante cerimônia de lançamento do programa Rodovida 2022, em Brasília. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***ARQUIVO***BRASÍLIA, DF, 14.12.2021 - O presidente Jair Bolsonaro (PL) durante cerimônia de lançamento do programa Rodovida 2022, em Brasília. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Depois de quatro dias do anúncio da vitória da esquerda nas eleições do Chile, o presidente Jair Bolsonaro (PL) fez uma breve manifestação nesta quinta-feira (23) durante a sua live semanal, nas redes sociais. Bolsonaro se referiu ao vitorioso do país vizinho como o "tal do Boric" e disse que determinou ao Itamaraty fazer os cumprimentos formais ao vencedor.

Gabriel Boric, líder dos protestos estudantis de 2011, foi eleito presidente do Chile no domingo (19) ao derrotar o ultradireitista José Antonio Kast, candidato de apreço do bolsonarismo.

Ao reunir o apoio de 4,6 milhões de eleitores (55,8% contra 44,1%), o nome da Frente Ampla se tornou o candidato mais votado da história chilena.

Em sua live, Bolsonaro leu o que estava escrito em um papel impresso, ressaltando a abstenção no Chile, onde o voto não é obrigatório, e disse que 55% dos que foram às urnas votaram no "tal do Boric".

Bolsonaro esteve nos últimos dias de folga no Guarujá. Ele voltou para Brasília nesta quinta-feira.

Em 2020, o governo Bolsonaro foi o último entre os países que fazem fronteira com a Bolívia a parabenizar a vitória de Luis Arce, ex-ministro da Economia do esquerdista Evo Morales.

Numa eleição em que os partidos tradicionais foram rejeitados nas urnas, Boric, de 35 anos, representa uma nova geração de políticos que surgiram com as revoltas estudantis de 2011. Para conseguir o apoio necessário para a vitória, porém, ele moderou o discurso e se reconciliou com a Concertação, aliança de centro-esquerda que governou o Chile por 20 anos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos