Bolsonaro e Barros se encontraram ao menos 10 vezes após denúncia da Covaxin

·3 minuto de leitura
Líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros, presidente Jair Bolsonaro e Paulo Skaf, presidente da Fiesp (Foto: Reprodução/ Twitter)
Líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros, presidente Jair Bolsonaro e Paulo Skaf, presidente da Fiesp (Foto: Reprodução/ Twitter)
  • Presidente Jair Bolsonaro e deputado Ricardo Barros se encontraram ao menos 10 vezes após denúncia da Covaxin

  • No dia 20 de março, deputado Luis Miranda teria avisado ao presidente sobre irregularidades na compra da Covaxin

  • Líder do governo afirma que presidente não comentou com ele sobre denúncia

O presidente Jair Bolsonaro e o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), se encontraram presencialmente ao menos dez vezes desde 20 de março, data em que o deputado Luis Miranda (DEM-DF), diz ter apresentado a denúncia sobre a vacina Covaxin, segundo levantamento do site Congresso em Foco.

No depoimento à CPI da Covid no Senado, o deputado Luis Miranda (DEM-DF) afirmou que Bolsonaro citou o nome de Barros quando foi informado pelo parlamentar e por seu irmão, Luis Ricardo Miranda, no dia 20 de março, sobre irregularidades envolvendo o contrato de R$ 1,6 bilhão assinado pelo ministério com a Precisa Medicamentos para a compra de 20 milhões de doses da Covaxin.

Leia também:

O líder do governo na Câmara afirmou ao Congresso em Foco que o presidente não tratou do assunto com ele em nenhuma das ocasiões em que se viram. Os encontros foram registrados na agenda oficial de Bolsonaro e em fotos nas redes sociais do deputado.

Conforme a agenda do presidente, o primeiro deles aconteceu apenas dois dias depois da conversa entre Bolsonaro e Miranda. Na segunda-feira (22), Bolsonaro se reuniu no Palácio do Planalto com Barros, o então ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, e os senadores Eduardo Gomes (MDB-TO) e Fernando Bezerra (MDB-PE).

No dia 6 de abril, o deputado esteve no evento de posse de Flávia Arruda na Secretaria de Governo. O líder do governo também acompanhou o presidente, no dia seguinte, em viagem a Chapecó (SC) e Foz do Iguaçu (PR), onde participaram da posse do general João Francisco Ferreira na presidência da Itaipu Binacional.

Presidente Jair Bolsonaro, segurando uma camisa de time de futebol, e o líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros, em Foz do Iguaçu
Presidente Jair Bolsonaro e o líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros, em Foz do Iguaçu (Photo by Kiko Sierich/Getty Images)

No dia 22 de abril, a agenda de Bolsonaro mostra outra reunião no Palácio do Planalto, desta vez somente os dois. Em 5 de maio, Barros postou uma selfie com o presidente em seu perfil no Twitter durante solenidade do programa Wi-Fi Brasil.

O presidente nomeou, no dia seguinte, a esposa do deputado, a ex-governadora do Paraná Cida Borghetti, como conselheira de Itaipu. Os conselheiros se reúnem a cada dois meses e recebem salário de cerca de R$ 25 mi.

Outra foto, postada pelo líder do governo no dia 12, mostra uma reunião no Planalto, com Bolsonaro e o vice-presidente Hamilton Mourão. Segundo a legenda, o assunto do encontro foi “articulação política”. Três dias depois, Barros posou com Bolsonaro, o ministro Marcos Pontes e o embaixador dos Estados Unidos Todd Chapman durante assinatura de participação do Brasil no programa espacial Artemis.

Outra reunião aconteceu no dia 17, sobre agenda da Câmara dos Deputados. No dia 25 de maio, o deputado e o presidente voltaram a se encontrar em evento com representantes de hospitais filantrópicos, publicado por Barros no Twitter. O deputado ainda compareceu em solenidade no palácio junto com Bolsonaro e Paulo Skaf, presidente da Fiesp, no dia 10 de junho.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos