Bolsonaro e embaixador britânico conversam sobre vacina da AstraZeneca e parcerias no meio ambiente

Daniel Gullino e Jussara Soares
·2 minuto de leitura

BRASÍLIA — O presidente Jair Bolsonaro conversou nesta quarta-feira com o embaixador do Reino Unido, Peter Wilson, sobre vacinas contra a Covid-19 e meio ambiente. Wilson garantiu a eficácia da vacina AstraZeneca/Oxford, desenvolvida no Reino Unido. Às vésperas de participar da Cúpula de Líderes sobre o Clima, que ocorre nos dias 22 e 23 de abril, Bolsonaro também tratou de possíveis parcerias para conter o desmatamento.

A conversa ocorreu durante almoço na embaixada, em Brasília, e durou cerca de 1h. Estavam presentes os ministros Marcelo Queiroga (Saúde), Ricardo Salles (Meio Ambiente) e Carlos França (Relações Exteriores), além do Secretário de Assuntos Estratégicos (SAE), Flávio Rocha, e do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

De acordo com a embaixada, o almoço ocorreu a convite do embaixador e os dois trataram de política, comércio, meio ambiente e vacinas. O encontro não estava previsto na agenda de Bolsonaro.

Segundo relatos dos presentes, Peter Wilson defendeu a segurança da vacina da AstraZeneca, que tem tido seu uso questionado em alguns países. Ele argumentou que todas as vacinas tem algum tipo de efeito colateral e minimizou os episódios envolvendo o imunizante britânico. Queiroga demonstrou ter concordado com os argumentos.

Já em relação ao meio ambiente, Bolsonaro demonstrou intenção de realizar parcerias para a redução do desmatamento na Amazônia. O governo brasileiro vem sendo pressionado por autoridades mundiais a mudar a política ambiental, mas quer que países invistam recursos para a preservação.

No encontro, presidente fez acenos a Ricardo Salles, ressaltando que o ministro irá representar o Brasil na próxima cúpula climática, a COP-26, marcada para ocorrer em novembro na Escócia. Nos dias 22 e 23 de abril, o presidente, junto com Salles, participará da Cúpula de Líderes para o Clima. A expectativa é que eles apresentam uma proposta para a preservação da Amazônia.

O convite a Bolsonaro para participar da cúpula foi feito pelo presidente americano Joe Biden, que, durante a campanha eleitoral, criticou a falta de compromisso do governo brasileiro com a redução de índices de desmatamento. Salles têm tido reuniões com autoridades estrangeiras, como uma forma de preparação para a cúpula sobre meio ambiente que está sendo organizada pelo Estados Unidos e ocorrerá na próxima semana.