Bolsonaro é intimado a depor sobre vazamento de inquérito sigiloso que apura ataque ao TSE

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
O presidente Jair Bolsonaro (Foto: AFP / EVARISTO SA)
O presidente Jair Bolsonaro (Foto: AFP / EVARISTO SA)
  • PF intimou Bolsonaro a prestar depoimento

  • Inquérito apura o vazamento de dados sobre um ataque hacker sofrido pelo TSE

  • Em entrevista, o presidente divulgou informações sigilosas

A Polícia Federal intimou o presidente Jair Bolsonaro a prestar depoimento no inquérito que apura o vazamento de dados sobre um ataque hacker sofrido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 2018. A informação é do jornal Folha de São Paulo.

As informações sobre data e formato do depoimento não foram divulgadas.

Em uma entrevista em agosto, ao lado do deputado federal Filipe Barros (PSL-PR), Bolsonaro usou informações sobre a investigação do TSE que eram sigilosas.

Logo depois, o presidente publicou em rede social a íntegra do inquérito, que não foi concluído pela PF. Além disso, informações sigilosas devem ser protegidas pelos servidores públicos.

Diante disso, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes determinou que fosse feita uma apuração sobre o que ocorreu a partir de uma notícia-crime apresentada pelo TSE.

Já prestaram depoimento o deputado Filipe Barros e o delegado responsável pelo caso, Victor Neves Feitosa Campos, que foi afastado por determinação de Moraes.

Segundo o jornal, a PF investiga como o parlamentar soube da investigação sigilosa em curso na superintendência do Distrito Federal e também quem foi o responsável pelo vazamento dos dados.

A entrevista concedida por Bolsonaro foi feita menos de uma semana depois da live do presidente em que ele levantou suspeitas sobre as urnas eletrônicas e não apresentou provas sobre o que falava.

O depoimento do presidente faz parte do conjunto de diligências necessárias para concluir a investigação.

Além da intimação que foi feita agora, no mês passado, o presidente foi ouvido no inquérito que apura suas supostas interferências na cúpula da PF.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos