Bolsonaro e Lacalle Pou propõem reunião em março para "flexibilizar" o Mercosul

·1 minuto de leitura
Os presidentes, respectivamente, uruguaio e brasileiro, Luis Lacalle e Jair Bolsonaro, em Brasília

O presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, e o do Uruguai, Luis Lacalle Pou, propuseram nesta quarta-feira (3) uma reunião dos quatro líderes do Mercosul em março para tratar de uma possível flexibilização do bloco que permita a cada país negociar acordos comerciais de forma independente.

"Tratamos com o presidente do Uruguai uma possível reunião dos quatro presidentes do Mercosul, possivelmente para final de março" em Foz de Iguaçu, declarou Bolsonaro sem dar mais detalhes, que recebeu Lacalle Pou para um almoço em sua residência oficial, em Brasília, em sua primeira visita ao exterior desde que assumiu o cargo no Uruguai, em março do ano passado.

Bolsonaro acrescentou que abordaram "a possibilidade de flexibilizar para cada país os seus negócios com outros países, falamos um pouco de energia e de infrastrutura".

O chanceler brasileiro, Ernesto Araújo, afirmou que esta reunião, por ocasião do 30º aniversário do Mercosul, servirá para continuar avançando na "redinamização do bloco".

"Vamos comemorar 30 anos neste bloco e, como qualquer grupo, temos de ver e olhar para ele, e o próximo passo é a flexibilidade para que cada país, ainda pertencendo, possa avançar", disse Lacalle Pou.

Atualmente, o Mercosul não permite que seus membros façam acordos comerciais sem o consentimento de seus parceiros.

A ideia de flexibilizar essa cláusula vem sendo pensada há anos no Mercosul, e ganhou força com as presidências de Michel Temer (2016-2018) no Brasil e de Mauricio Macri (2015-2019) na Argentina.

Durante o mandato de ambos, muitos avanços foram obtidos no acordo do bloco com a União Europeia, assinado em junho de 2019 e cuja ratificação paralisou entre os 27 membros da UE, principalmente devido a preocupações com o descumprimento do Brasil na proteção da Floresta Amazônica.

jm/mel/yow/bn