Bolsonaro e Lula se atacam em debate 'acalorado', diz imprensa internacional

Lula e Bolsonaro lideram as pesquisas e debateram pela primeira vez no domingo
Lula e Bolsonaro lideram as pesquisas e debateram pela primeira vez no domingo

Um debate "acalorado" em uma eleição extremamente dividida. Foi assim que a imprensa internacional repercutiu o primeiro encontro entre candidatos à Presidência realizado no domingo (28/8).

"No que está provando ser uma disputa polarizada no país mais populoso da América Latina, os ânimos se acirraram em um debate de quase três horas na TV com seis candidatos", disse o jornal britânico Financial Times.

O título do artigo é: "Lula e Bolsonaro se atacam em acalorado debate presidencial brasileiro".

O diário destacou a troca de acusações entre os dois líderes nas pesquisas de intenção de voto: o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (PL).

Veja como foram as últimas pesquisas eleitorais de 2022:

Segundo o Financial Times, houve dois momentos de destaque: quando Bolsonaro culpou Lula por liderar "o governo mais corrupto da história do Brasil" e quando Lula acusou Bolsonaro de "destruir o país".

"Bolsonaro desferiu um forte golpe contra seu rival, focando no tema da corrupção, aludindo a um esquema de propina política na petroleira estatal Petrobras sob o governo do PT de Lula", afirmou o diário, de notícias sobre economia. Já Lula defendeu seu legado, dizendo que seu governo criou mecanismos de combate à corrupção, acrescentou o FT.

O jornal disse que o principal foco do debate foi a economia, em meio ao aumento do custo de vida e as políticas do governo de auxílio econômico a famílias.

"No entanto, ambos os políticos falaram pouco sobre detalhes de políticas [que pretendem implementar caso eleitos]."

Na mesma linha, a emissora árabe Al Jazeera afirmou que Bolsonaro e Lula "partiram para a ofensiva" durante o primeiro debate presidencial.

"Bolsonaro chamou Lula de "ladrão" e destacou o chamado escândalo da "Lava Jato" (...) Lula respondeu que Bolsonaro estava espalhando "inverdades" e, por sua vez, acusou o presidente de manejar mal o país e desfazer anos de crescimento econômico e iniciativas de combate à pobreza", disse a emissora.

Já o jornal espanhol El País também noticiou o debate televisivo de domingo em uma das eleições "mais polarizadas dos últimos anos" — destacando a economia e a corrupção como temas principais da discussão.

"O atual presidente e o ex-presidente também discutiram por causa da ajuda social para os brasileiros mais pobres", disse o El País.

"Bolsonaro repreendeu Lula pelo fato de o programa Bolsa Família, que foi o grande símbolo dos governos progressistas, ser três vezes menor que o programa atual, chamado de Auxilio Brasil, que é de R$ 600. Lula respondeu que, apesar das promessas do presidente, esse valor só está garantido até o final do ano. Essa remuneração é a grande aposta de Bolsonaro para atrair votos entre os brasileiros mais necessitados."

O El País também afirmou que "Bolsonaro não hesitou em mentir" ao dizer que a inflação brasileira está abaixo da dos Estados Unidos.

Para o jornal espanhol, "a vencedora do debate foi a senadora Simone Tebet", do PMDB.

"Foi ela quem criticou duramente e chamou o presidente Bolsonaro para prestar contas", disse o jornal "Ela também o culpou pelo atraso na compra de vacinas, pelos escândalos de corrupção e pela disseminação sistemática de notícias falsas do governo".

O debate também foi destacado pelos jornais franceses Le Monde e Le Figaro, que reproduziram um pequeno texto da agência de notícias AFP.

- Este texto foi publicado originalmente em https://www.bbc.com/portuguese/brasil-62712814

Sabia que a BBC está também no Telegram? Inscreva-se no canal.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!