Bolsonaro edita decreto que viabiliza pagamento do auxílio emergencial

Maria Carolina Marcello
·1 minuto de leitura
Presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia no Palácio do Planalto

Por Maria Carolina Marcello

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Jair Bolsonaro editou decreto nesta sexta-feira com detalhes para a operacionalização do pagamento do auxílio emergencial pelos próximos 4 meses com um valor médio de 250 reais.

O governo já havia editado uma medida provisória, no dia 18, que institui a ajuda financeira concedida devido à pandemia de Covid-19. O decreto, publicado em edição extra do Diário Oficial, regulamenta a MP com requisitos para receber o benefício.

O texto também aprimora regras de MP anterior sobre pagamento do auxílio em 2020, para delimitar seu público-alvo e reforçar critérios de "não elegibilidade".

Pelo decreto, o auxílio será concedido a beneficiário que não tenha emprego fixo, tenha renda familiar mensal per capita inferior a meio salário mínimo e não receba nenhum outro benefício federal como aposentadoria, BPC ou transferência de renda.

Aqueles que não retiraram o auxílio em 2020 não receberão novas parcelas, mas o texto prevê pagamento independentemente de pedido desde que os beneficiários cumpram requisitos.

O recebimento do auxílio emergencial em 2021 está limitado a um beneficiário por família. A mulher provedora de família monoparental receberá quatro parcelas mensais no valor de 375 reais, enquanto pessoas sozinhas receberão 150 reais.

O decreto detalha a utilizaçao e compartilhamento de bases de dados para a verificação dos critérios de elegibilidade ao benefício e caracterização dos grupos familiares.