Bolsonaro edita MP que permite a venda de ativos pela Caixa

O Globo
·1 minuto de leitura
Arquivo

BRASÍLIA - O presidente Jair Bolsonaro editou medida provisória (MP) que vai permitir à Caixa Econômica Federal estruturar a venda ou abertura de capital de participações que possui em empresas subsidiárias e coligadas.

A MP 995 é uma etapa burocrática que vai permitir, por exemplo, a formação de parcerias (joint-ventures) para promover a abertura de capital (IPO, na sigla em inglês) da área de seguros do banco, a Caixa Seguridade, e do segmento de cartões.

A Caixa tem cinco subsidiárias e 24 empresas coligadas. Desde que assumiu o banco, o presidente Pedro Guimarães defende a venda de ativos que não seriam essenciais à prestação dos serviços de cunho mais social. As autorizações dadas pela MP são válidas até 31 de dezembro de 2021, prazo visto como suficiente para a realização das operações.

Em nota, a assessoria de comunicação do Palácio do Planalto ressalta que a reestruturação não afetará a atuação da Caixa no setor bancário, nem políticas públicas estratégicas, como o Bolsa Família, o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e o financiamento imobiliário. “Ao contrário, permitirá que a Caixa foque seus recursos e esforços nessas atividades.”