Bolsonaro em Garanhuns: veja como foi a visita na terra natal de Lula

Bolsonaro foi para Garanhus, cidade natal de Lula, neste sábado (17). Foto: AP Photo/Eraldo Peres.
Bolsonaro foi para Garanhus, cidade natal de Lula, neste sábado (17). Foto: AP Photo/Eraldo Peres.
  • O presidente Jair Bolsonaro (PL) está cumprindo agenda de campanha em Pernambuco neste sábado;

  • Bolsonaro compareceu à Marcha para Jesus de Garanhuns, cidade natal de Lula;

  • Visita de presidente a município visa mostrar força na "terra de Lula".

O presidente Jair Bolsonaro (PL) chegou neste sábado (17) a Garanhuns, cidade natal do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), onde foi recebido na Associação Garanhuense de Atletismo (AGA) para um almoço com empresários, evangélicos e médicos.

Às 15h, Bolsonaro subiu em um trio elétrico e fez um discurso de menos de cinco minutos, no qual evitou citar o nome de Lula. Ele falou sobre "momentos difíceis" de seu mandato, sem detalhar o motivo, e evocou os temas da religião e da família.

"Dizem que que o Estado é laico, mas o presidente da República acredita em Deus, defende a família brasileira, defende a vida desde a sua concepção", disse o presidente. "Um presidente que não quer liberar drogas e não quer também ideologia de gênero pra nossos filhos e netos".

Após comemorar o preço da gasolina, ele encerrou sua fala dizendo que pode ganhar as eleições no primeiro turno, mesmo perdendo em todos os principais levantamentos.

Para evitar conflitos na região, o dirigente do PT (Partido dos Trabalhadores) no município e primo de Lula, Eraldo Ferreira, orientou militantes do partido na cidade a não se manifestarem na ocasião.

Mais cedo, Bolsonaro participou de mais uma motociata, que começou em Santa Cruz do Capibaribe, passou por Toritama e chegou a Caruaru, onde também discursou:

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente:

"E um detalhe, para presidente da República nós vamos ganhar no primeiro turno. Vamos mostrar que nós não queremos a volta dos escândalos que tínhamos há pouco, no passado", disse o presidenciável, ao pedir votos para os candidatos pernambucanos.

Em nove minutos de discurso, Bolsonaro também falou sobre a queda do preço da gasolina e alegou que investirá recursos no Brasil.

Sobre o Auxílio Brasil, ele disse que manterá o valor “lá em cima”, caso seja reeleito.