Bolsonaro em memorial de Gandhi: 'Sou capitão do Exército, ele é pacifista'

Bolsonaro em visita ao templo de Akshardham, em Nova Délhi. Foto: Alan Santos/PR

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Presidente ressaltou diferenças ao ser questionado sobre o que achava da figura do líder pacifista, considerado um herói pela maioria dos indianos.

  • “Eu sou um capitão do Exército, ele é um pacifista”, comparou.

A exemplo da maioria dos chefes de Estado em visita oficial à Índia, o presidente Jair Bolsonaro visitou o memorial de Mahatma Gandhi e colocou flores em homenagem ao líder, considerado um herói pela maioria dos indianos.

Segundo reportagem da Folha de S.Paulo, entretanto, Bolsonaro afirmou ser diferente do líder pacifista, um dos fundadores da Índia moderna. “Eu sou um capitão do Exército, ele é um pacifista”, comparou o presidente brasileiro, ao ser questionado sobre o que pensa da figura de Gandhi.

Leia também

“Mas a gente reconhece o seu passado, sempre pregando a paz, a harmonia e a liberdade”, completou.

Após ganhar um busto de Gandhi, Bolsonaro disse ter ficado emocionado com a cerimônia de depósito de flores. “É uma cerimônia que toca a alma da gente, o país tem suas tradições, tem sua história, e, assim como Brasil, é um país emergente.”

O memorial marca o local onde Gandhi foi cremado, em 31 de janeiro de 1948, um dia após o pacifista ter sido assassinado com três tiros pelo extremista hindu Nathuram Godse.

Godse pertenceu durante 14 anos ao RSS, grupo fundamentalista hindu, embora não estivesse mais filiado quando cometeu o crime. O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, é integrante do RSS desde os 8 anos.