Bolsonaro engana ao dizer que mensagens golpistas de empresários são fake news

Presidente Jair Bolsonaro em visita a um parque tecnológico em São José dos Campos, São Paulo, em 18 de agosto de 2022 (Foto: Reuters / Carla Carniel)
Presidente Jair Bolsonaro em visita a um parque tecnológico em São José dos Campos, São Paulo, em 18 de agosto de 2022 (Foto: Reuters / Carla Carniel)
  • Nesta quinta-feira (18), o presidente Bolsonaro chamou de "fake news" troca de mensagens entre empresários sobre golpe de Estado

  • Em matéria publicada no Metrópoles, foram reveladas mensagens de cunho golpista enviadas em um grupo de WhatsApp de empresários

  • Mas é falso que o conteúdo revelado se trate de "fake news"

Nesta quinta-feira (18), durante um evento em São José dos Campos (SP), o presidente Jair Bolsonaro (PL) chamou de "fake news" trocas de mensagens entre empresários bolsonaristas. As mensagens foram reveladas em uma reportagem do Metrópoles sobre o conteúdo que circulava em um grupo de WhatsApp e que se referia a um golpe de Estado. Contudo, à reportagem do Yahoo! Notícias, Guilherme Amado, autor da matéria, assegurou que a autenticidade do conteúdo foi verificada.

Além disso, como evidenciado no texto publicado em sua coluna, os envolvidos foram procurados e não desmentiram o conteúdo das mensagens.

Segundo a reportagem do Metrópoles, a troca de mensagens ocorreu no grupo de WhatsApp chamado "Empresários & Política", criado em 2021.

Uma das mensagens enviadas, por exemplo, foi escrita por José Koury, proprietário do shopping Barra World, em 31 de julho. No texto, Koury afirmou: "Prefiro golpe do que a volta do PT. Um milhão de vezes. E com certeza ninguém vai deixar de fazer negócios com o Brasil. Como fazem com várias ditaduras pelo mundo". A reportagem chegou a exibir capturas de telas das mensagens mencionadas.

Procurado pelo Metrópoles, conforme consta no texto, Koury afirmou que vivemos em uma democracia, em que há liberdade para expressar a sua opinião. "Não disse que defendo um golpe de Estado, e sim que talvez preferiria isso a uma volta do PT. Para mim, a volta do PT será um retrocesso enorme para a economia do país", completou o empresário.

Outros envolvidos também foram procurados pelo Metrópoles e não contestaram o conteúdo das mensagens nem alegaram tratar-se de conteúdo falso.

À reportagem do Yahoo! Notícias, Guilherme Amado – autor da reportagem escrita em conjunto com Bruna Lima e Edoardo Ghirotto –  explicou que a autenticidade das mensagens foi verificada ao entrar em contato com os envolvidos. O jornalista confirmou que nenhum deles desmentiu o conteúdo em questão.