Bolsonaro 'esconde' trio elétrico em prestação de contas ao TSE

Bolsonaro 'esconde' trio elétrico pago por Malafaia em prestação de contas. REUTERS/Ricardo Moraes
Bolsonaro 'esconde' trio elétrico pago por Malafaia em prestação de contas. REUTERS/Ricardo Moraes

O trio elétrico usado em Copacabana na campanha de Jair Bolsonaro (PL) não consta na prestação de contas parcial ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Segundo o colunista Lauro Jardim, do O Globo, veículo custou R$ 35 mil e foi pago pelo pastor Silas Malafaia.

A campanha do presidente e candidato à reeleição declarou ao TSE ter gasto R$ 29,9 mil com atos políticos no feriado do dia 7 de Setembro. O pagamento do trio elétrico por Malafaia dificulta a declaração ao Tribunal, já que o certo seria que a própria campanha tivesse custeado, e assim, declarado o valor.

De acordo com o balanço apresentado à Corte, R$ 7.920 mil serviram para o aluguel de 300 grades utilizadas nos eventos de comemoração de 200 anos da Independência. Além disso, R$ 22 mil pagaram a captação de imagens dos eventos.

No último sábado (9), Bolsonaro foi impedido pelo TSE de utilizar vídeos e fotos das comemorações nas propagandas eleitorais. A decisão, do ministro Benedito Gonçalves, aponta que o uso fere o princípio da isonomia entre os candidatos à República.

Datafolha: Lula tem 54% no 2º turno, e Bolsonaro marca 38%

A distância entre Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL) na simulação feita pelo Datafolha para um eventual 2º turno na eleição presidencial deste ano se manteve similar à do levantamento anterior do instituto, feito há uma semana.

Naquela rodada, o ex-presidente tinha 53% e Bolsonaro, 39%. Agora, o placar é de 54% a 38% para o petista, dentro da margem de erro da nova pesquisa, feita de terça (13) a esta quinta (15), de dois pontos percentuais.

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente:

Pesquisas eleitorais, como saber em quais posso confiar?

Em meio a essa diversidade de levantamentos existentes no Brasil, muitos eleitores não sabem em quais resultados acreditar.

No primeiro dia do ano passou a ser obrigatório (leia a resolução clicando aqui)o registro junto à Justiça Eleitoral de qualquer pesquisa pública relacionada às eleições para presidente e governador. Porém, se uma pesquisa está registrada não necessariamente significa que ela será confiável, isso porque não há nenhum tipo de fiscalização prévia sobre a metodologia desses levantamentos.

Atualmente, a confiabilidade das pesquisas é garantida no Brasil por meio da transparência. São algumas das informações que devem ser cadastradas junto à Justiça Eleitoral, tornando as pesquisas passíveis de contestação, caso qualquer irregularidade seja encontrada posteriormente:

  • Nome do contratante

  • Valor cobrado pela pesquisa

  • Origem dos recursos investidos

  • Metodologia

  • Período de realização

  • Sistema de fiscalização da coleta de dados

  • Tipo de questionário aplicado

Para identificar os atributos que mais merecem atenção nas pesquisas eleitorais, a reportagem do Yahoo! Notícias conversou com alguns especialistas no assunto e separou uma lista com os pontos mais importantes, confira aqui.

Qual a data das Eleições 2022?

O primeiro turno das eleições será realizado no dia 2 de outubro, um domingo. Já o segundo turno – caso necessário – será disputado no dia 30 de outubro, também um domingo.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica nas Eleições 2022

  1. Deputado federal (quatro dígitos)

  2. Deputado estadual (cinco dígitos)

  3. Senador (três dígitos)

  4. Governador (dois dígitos)

  5. Presidente da República (dois dígitos)