'Bolsonaro está tentando se apropriar do governo Lula', diz Haddad sobre Renda Brasil

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Fernando Haddad, candidato presidencial del Partido de los Trabajadores, saluda tras votar en Sao Paulo, el domingo 28 de octubre de 2018. (AP Foto/Andre Penner)
O ex-prefeito ainda mencionou o auxílio emergencial de R$ 600, aprovado pelo Congresso durante a pandemia destinado a trabalhadores desempregados e pessoas de baixa renda, como possível motivo para a popularidade do presidente Bolsonaro (AP Foto/Andre Penner)

Em entrevista exclusiva ao Yahoo! Notícias, nesta terça-feira (1), o ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), e adversário do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nas eleições de 2018, disse que “o governo Bolsonaro está tentando se apropriar do governo Lula”.

“Bolsonaro está tentando se apropriar das marcas do PT, só isso que ele está fazendo. Ele vai tentar se apropriar até 2022, porque não tem projeto”, afirmou, referindo-se ao Renda Brasil, que deve substituir o atual Bolsa Família.

O ex-prefeito ainda mencionou o auxílio emergencial de R$ 600, aprovado pelo Congresso durante a pandemia destinado a trabalhadores desempregados e pessoas de baixa renda, como possível motivo para a popularidade do presidente Bolsonaro.

Leia também:

“O auxilio que o Congresso aprovou, também contrariando a equipe econômica de Bolsonaro, teve um impacto muito importante”, disse. “As pessoas não têm dimensão do que é o auxílio emergencial. Ele equivale por mês o que o Bolsa Família vale por ano. É óbvio que isso teve um impacto”, concluiu.

Fernando Haddad é advogado e foi ministro da Educação de 2005 a 2012, nos governos Lula e Dilma Rousseff, e prefeito da cidade de São Paulo de 2013 a 2016. Ele também é professor de ciência política da Universidade de São Paulo (USP).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos