Bolsonaro exonera Ciro Nogueira da Casa Civil e outros dois ministros

Presidente deve deixar o país entre hoje e amanhã, já que sua participação não é esperada na posse

Nos últimos dias do governo, Bolsonaro exonera Ciro Nogueira, um dos seus principais aliados - Foto: Andressa Anholete/Getty Images
Nos últimos dias do governo, Bolsonaro exonera Ciro Nogueira, um dos seus principais aliados - Foto: Andressa Anholete/Getty Images

O presidente Jair Bolsonaro (PL), publicou no Diário Oficial da União (DOU), desta sexta-feira (30), a exoneração do ministro-chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira. Além dele, Bolsonaro também exonerou Célio Faria Júnior, chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República, e Daniel de Oliveira Duarte Ferreira, ministro do Desenvolvimento Regional.

Segundo o documento, a exoneração de Ciro Nogueira foi feita a pedido do ministro. O despacho foi publicado no penúltimo dia de mandato do presidente, no DOU.

Ciro é considerado o braço direito e o principal interlocutor do presidente da República dentro do Palácio do Planalto.

O ministro-chefe da Casa Civil, é senador (PP-PI), presidente nacional do PP integrante do Centrão, e assumiu a Casa Civil em 2021, então ocupada pelo general Luiz Eduardo Ramos, numa reforma ministerial realizada por Bolsonaro.

Na portaria, a saída dos ministros Daniel de Oliveira e Célio Faria, foi realizada "a pedido".

No último dia 21, o presidente já tinha exonerado o ministro das Comunicações, Fábio Faria. Na última posse presidencial, quando Bolsonaro assumiu a Presidência, os ministros de Michel Temer foram exonerados no dia 1 de janeiro.

No DOU também foi publicada a exoneração do secretário especial de Cultura, vinculado ao Ministério do Turismo, André Porciuncula Alay Esteves.

Em um comparativo na troca de governos, os ministros de Michel Temer (MDB), presidente que antecedeu Bolsonaro, foram exonerados em 1º de janeiro de 2019, após o fim do mandato do emedebista.

Bolsonaro deve deixar o país entre hoje e amanhã, já que sua participação não é esperada na posse, pois segundo portaria publicada no DOU de hoje, o atual presidente viajará a Miami no mês de janeiro de 2023, com viagem marcada para o dia 1° e retorno somente no final do mês. Seria a primeira vez que um presidente não transfere a faixa presidencial desde João Figueiredo.