Bolsonaro fala que 'luta não será fácil': 'Não tem nada decidido'

Bolsonaro falou sobre período final antes do primeiro turno (AP Photo/Andre Penner)
Bolsonaro falou sobre período final antes do primeiro turno (AP Photo/Andre Penner)

O presidente Jair Bolsonaro (PL), candidato à reeleição, pediu apoio aos eleitores e afirmou que o resultado das eleições “ainda não está decidido”. Nesta quarta-feira (14), o mandatário realizou um comício em Presidente Prudente (SP) e pediu que os apoiadores usem verde e amarelo na ida às urnas, no dia 2 de outubro.

No discurso, o governante questionou as pesquisas eleitorais que apontam a liderança do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na corrida presidencial.

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente:

“A luta não será fácil. Ainda não está decidido. Vocês veem por aí um instituto de pesquisas que não tem qualquer credibilidade dando vitória para um bandido no primeiro turno. A nossa pesquisa é o Datapovo, é o sentimento de cada um de vocês, é o comparecimento nas urnas e o convencimento de quem está equivocado”, afirmou Bolsonaro.

O candidato convocou a militância a convencer eleitores que “estão do outro lado” a virem para “o lado do bem”.

“Eu peço a todos vocês que compareçam às urnas, vá votar de verde e amarelo, convença as pessoas que estão do outro lado a vir para o nosso lado, que é o lado do bem, é o lado da verdade, da prosperidade, da liberdade, é o lado o que todos nós queremos”, complementou.

A pesquisa do Instituto Quaest, divulgada nesta quarta-feira, aponta Lula com 42% das intenções de voto, contra 34% de Bolsonaro, no primeiro turno.

Numa segunda etapa da eleição entre os dois, o levantamento aponta vitória petista, com 48% das intenções, contra 40% do atual presidente. Essa é a menor distância entre os dois desde o início das pesquisas.

A pesquisa foi encomendada pela Genial Investimentos, com entrevistas realizadas presencialmente entre os dias 10 e 13 de setembro, com 2 mil eleitores na faixa etária de 16 anos ou mais.

A margem de erro estimada é de dois pontos percentuais, e o nível de confiabilidade é de 95%. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o protocolo BR-03420/2022.