Bolsonaro falta a evento com Lira e Pacheco, faz live e ignora de novo o bicentenário

*ARQUIVO* BRASILIA, DF,  BRASIL,  04-08-2022, 12h00: O presidente Jair Bolsonaro, acompanhado da primeira dama Michelle Bolsonaro e do ministro da Defesa General Paulo Sérgio Nogueira, durante cerimônia de cumprimento aos oficiais generais recém promovidos, no Palácio do Planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
*ARQUIVO* BRASILIA, DF, BRASIL, 04-08-2022, 12h00: O presidente Jair Bolsonaro, acompanhado da primeira dama Michelle Bolsonaro e do ministro da Defesa General Paulo Sérgio Nogueira, durante cerimônia de cumprimento aos oficiais generais recém promovidos, no Palácio do Planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente Jair Bolsonaro (PL) cancelou a ida à sessão solene do Congresso Nacional comemorativa ao bicentenário da Independência do Brasil.

O mandatário fez uma transmissão ao vivo poucos minutos antes do horário marcado para a cerimônia. A ausência dele na solenidade ocorre um dia depois de o presidente do Congresso, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), e da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), terem faltado ao desfile cívico do 7 de Setembro.

A ausência de Bolsonaro na sessão foi confirmada pelo Senado Federal pelas redes sociais.

"O presidente da República, Jair Bolsonaro, cancelou sua vinda à sessão solene do Congresso Nacional de hoje em comemoração ao Bicentenário da Independência." Interlocutores de Pacheco disseram que o presidente não deu nenhuma justificativa. A comunicação foi feita pelo cerimonial do Palácio do Planalto.

A decisão de Jair Bolsonaro pegou de surpresa a cúpula do Congresso Nacional e mesmo o cerimonial do legislativo, que aguardava a sua presença e manteve o esquema de segurança tradicionalmente montado quando o mandatário comparece.

Aliados de Rodrigo Pacheco consideram que se tratou de uma "retaliação" por os outros chefes de poderes o terem deixado isolado durante os desfiles de 7 de Setembro. A ausência de Pacheco, em particular, foi uma sinalização para o chefe do Executivo, uma vez que ele estava em Brasília.

O senador mineiro chegou a oferecer um jantar durante o feriado para celebrar o bicentenário da independência. Compareceriam o chanceler Carlos França, membros da comunidade diplomática e o presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa.

Pacheco vinha falando a interlocutores que não compareceria aos desfiles de 7 de Setembro se considerasse que o evento se transformaria em um ato de campanha.

Efetivamente, após o desfile, Bolsonaro e ministros subiram em um carro de som e o mandatário discursou para seus apoiadores, com falas machistas, ataques ao STF e ao seu principal adversário na busca pela reeleição, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

No Congresso Nacional, a cerimônia desta quinta-feira (8) teve a presença dos ex-presidentes Michel Temer e José Sarney, do presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Luiz Fux; e do procurador-geral da República, Augusto Aras.

Além do presidente de Portugal, participaram da cerimônia os presidentes de Guiné-Bissau, Umaro Sissoco Embaló, e Cabo Verde, José Maria Neves.