Bolsonaro faz gesto de aproximação com Claudio Castro em evento da PM no Rio

Alice Cravo
·2 minuto de leitura
Gabriel de Paiva / Agência O Globo

RIO — O presidente Jair Bolsonaro fez, nesta sexta-feira, um aceno de aproximação ao governador em exercício do estado do Rio, o Claudio Castro. Durante a formatura de novos soldados da Polícia Militar, no Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CEFAP), no Rio de Janeiro, o presidente declarou que Castro é um "governador de verdade" e que "honra o mandato" e o parabenizou pela forma como conduz o estado. Castro assumiu o governo do estado após o afastamento do governador Wilson Witzel por envolvimento em esquemas de corrupção ligados à Saúde. Witzel e Bolsonaro, que se elegeram em 2018 como aliados, acabaram rivais políticos, após vir à tona as inteções do ex-governador de se candidatar à Presidência.

— Governador Cláudio Castro, parabéns pela forma como conduz o destino do estado, da forma como governador de verdade deve conduzir. O senhor honra o seu mandato. Sou testemunha das diversas vezes que tem procurado a mim e os ministros para atender a situação do nosso estado, e aí incluindo as questões da segurança pública — disse Bolsonaro durante discurso, em que exaltou os militares.

O presidente voltou a declarar que ele e as Forças Armadas devem lealdade ao povo e ressaltar que "Jamais a democracia e liberdade será ameaçada":

— Eu e as Forças Armadas devemos lealdade absoluta. Jamais a democracia e a liberdade será ameaçada por quem quer que seja. Os três poderes são independentes, mas o maior poder é do povo brasileiro, que eu devo lealdade absoluta.

Nesta sexta-feira, novas informações sobre relatório produzido pela Agência Brasileira de Inteligência (Abin) revelada pela revista Época aumentam a suspeita de uso indevido da agência para tentar proteger o senador Flávio Bolsonaro no caso da racahdinha na Alerj, operada pelo ex-assessor Fabrício Queiroz. O presidente e o senador saíram do evento sem falar com a imprensa.

Alám do governador, acompanharam o presidente na cerimônia os deputados federais Otoni de Paula, Daniel Silveira e Helio Lopes, os ministros do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e da Casa Civil, Braga Netto, e o senador Flávio Bolsonaro.

Boa parte da comitiva presidencial não usou máscara de proteção contra o novo coronavírus, incluindo o governador em exercício. O Rio de Janeiro sofre com um momento de aumento considerável no número de infectados e com ausência de leitos hospitalares.